Finanças para o casal: juntos e em dia com o bolso

10 de junho / 2019 (atualizado)

As vitrines de lojas e timelines de redes sociais não nos deixam esquecer do Dia dos Namorados. Mas você sabe como manter o bolso sempre em ordem em uma vida a dois? 

 

Estar em um relacionamento com alguém que compartilha planos e objetivos é demais…

Porém, o endividamento entre casais é bem comum.

Um estudo mostrou que os casais mais jovens são os que costumam dar passos maiores do que a perna em termos de finanças, e neste post vamos explicar o motivo de muitos casais entrarem em relacionamentos “falidos” (aqui não estamos falando de sentimentos, mas sim de grana, ok?) e, além disso, dar algumas dicas bem úteis de como manter um relacionamento saudável paras as contas bancárias de ambos, sem cair no tédio!

Para você não perder nada, aqui vão os temas que serão abordados:

  • Perigos financeiros do início do relacionamento;
  • Pensando em darem o próximo passo na relação? Saibam como falar das finanças;
  • Já moram juntos? Então, como fazer a gestão dos custos e pagamentos?
  • Principais erros financeiros cometidos por casais;
  • Nem tudo precisa ser chato: veja como vocês podem sair da rotina, sem se endividar!

 

Namoro à vista! Como cuidar do meu bolso?

Esse é aquele momento que você quer impressionar o(a) parceiro(a). Seja com presentes, jantares ou programações que te fazem pagar entrada e consumação mínima.

Assumir que estamos sem grana para fazer isso, pode nos deixar em uma situação difícil. Mas acredite, será mais difícil ainda esconder uma dívida, já que estudos apontam que boa parte das brigas entre casais vem do tema finanças.

Quando as finanças não vão bem, é natural que o casal brigue, que ocorram acusações de que um ou outro não saiba gerenciar as despesas, ou de não ganhar o suficiente para contribuir com o alcance dos sonhos do casal.

Acredite quando existe harmonia financeira muitos problemas podem ser evitados nos relacionamentos.

 

Estão na fase de pensar em dar o próximo passo na relação? 

Parabéns! Esse momento é incrível! Mas ele exige alguns cuidados e planejamentos diferentes.

Apesar de planejar uma vida financeira em conjunto, ter conta bancária e planilha financeira individuais para preservar a independência é válido. Conta conjunta poderá ser interessante para objetivos em comum: por exemplo uma viagem ou reforma.

Essas conquistas poderão ser alcançadas mais rápido e facilmente se ambos guardarem juntos uma porcentagem de seu salário. Mais uma vez, enfatizamos que o tema finanças tem que ser uma conversa leve entre o casal. É um passo importante para um relacionamento duradouro.

Conversem também sobre quais são as prioridades e sonhos de cada um. Isso evitará dores de cabeça maiores no futuro ou surpresas depois que vocês já estiverem morando juntos.

 

E como ficam as finanças para os casais que já moram juntos?

Se vocês já juntaram as escovas de dentes, sabem que finanças, gastos e contas provavelmente são assuntos mais frequentes nas conversas.

Somar os custos de uma casa não é uma tarefa fácil, e recomendamos que, na hora de fazer isso, vocês se organizem sabendo quais são os custos fixos (por exemplo, as parcelas do financiamento ou boleto do aluguel) e os custos variáveis (água, luz, supermercado) que vocês têm juntos.

Se os dois possuem renda, também é bem importante que vocês dividam os pagamentos. Dessa forma, não fica “pesado” ou injusto para nenhuma das partes.

Nós, da emDia, sugerimos que vocês façam isso de uma forma proporcional ao salário que cada um recebe.

Vamos dar um exemplo:

Vocês juntos possuem uma renda de R$ 1.200 reais.

Você é responsável por receber R$ 800 (ou seja, 66% do valor total que vocês possuem juntos por mês). Enquanto o(a) seu(sua) parceiro(a) recebe mensalmente R$ 400 (ou seja, 34% do valor total que vocês recebem juntos por mês).

Nesse caso, quando vocês somarem todas as despesas que têm morando juntos (aquelas fixas e variáveis), é justo que você seja responsável pelo pagamento de 66% dos custos, enquanto a outra parte cobre os outros 34%.

Priorizar a quitação de dívidas também é uma estratégia interessante para o casal: quando vocês acabam de se casar, ou apenas de ir morar juntos, é normal lidar com dívidas geradas pela própria união. Nesse caso, é importante, além das dívidas, saber quais contas pagar primeiro.

 

Quais são os principais erros que os casais cometem com as finanças?

  1. Não falar nunca sobre o assunto (sendo antes ou depois do casamento).
  2. Esconder compras ou dívidas um do outro: todo mundo sabe que mentiras têm pernas curtas, portanto se você gastou mais do que deveria ou está com um problema financeiro, seja honesto no diálogo.
  3. Esconder a realidade financeira do outro (sendo ela boa ou ruim).
  4. Não educar financeiramente os filhos desde bem cedo: se as crianças estiverem no plano para os futuros do casal, pensem em como abordar o tema de educação financeira com os pequenos.

 

Mas tudo tem que ser chato? Como podemos sair da rotina sem entrar em dívidas?

Cinemas ao ar livre, testar novas receitas cozinhando juntos em casa, fazer um piquenique em algum parque bem bonito de sua cidade, festivais gastronômicos com comidas servidas em barraquinhas e assistir ao pôr do sol. Essas são algumas das atividades românticas que um casal pode fazer juntinho, gastando quase nada!

Essa lista indica inclusive aplicativos que ajudarão você a encontrar lugares, que caibam no bolso!

Que tal já testar alguma delas no Dia dos Namorados?

Por fim, o importante é encontrar o equilíbrio entre os fatores emocionais e financeiros independente do estágio do seu relacionamento. Sonhar e fazer planos fazem parte de tudo isso, mas sem esquecer de manter uma reserva de segurança, para não comprometer o orçamento do casal.

Gostou das dicas? Conheça o Blog da emDia e saiba como ter uma relação mais leve com suas finanças.

Ir para o Blog

Marcella Menasce

por Marcella Menasce