Confira 5 dicas para abrir um negócio sem ter prejuízo

04 de fevereiro / 2021 (atualizado)

Abrir o próprio negócio tem se tornado uma prática frequente no mercado. Mas, apesar da tendência, o que poucos sabem é que empreender exige habilidades que vão além da motivação e do capital para investimento.

Há uma série de elementos essenciais a serem pontuados e definidos antes da abertura do negócio. Nesse contexto, os empreendedores devem entender bem o mercado e o público, planejar cada etapa, criar estratégias de marketing, manter o controle do fluxo de caixa e investir em muita criatividade e inovação.

Ainda, para obter êxito ao abrir o seu próprio negócio, é preciso uma jornada de trabalho dobrada para captar recursos suficientes, além de organização, disciplina e controle das finanças pessoais e da empresa.

Quer saber como abrir um negócio sem ter prejuízo? Continue a leitura e aprenda a empreender de maneira correta, livrando-se de equívocos que podem lhe causar prejuízos e criando a oportunidade de conquistar uma renda extra. Confira nossas dicas!

1. Valide sua ideia

Escolher um segmento de negócio que tenha a ver com você é, sem dúvida, o primeiro passo para seguir com o objetivo, amadurecendo a ideia e colocando-a em prática. Para isso, é preciso muita pesquisa.

Nessa fase, você deve realizar uma análise exploratória minuciosa, com pesquisas de mercado e coleta de informações importantes que ajudem a desenvolver melhor a sua ideia. Quando necessário, proponha adaptações e mudanças, conforme as instabilidades do mercado.

Lembre-se que, se você não sabe por onde começar ou qual negócio abrir, é importante escolher algo que esteja associado ao seu perfil e suas necessidades. Após pensar em tudo isso, você estará pronto para montar um plano de negócio e definir técnicas para estabelecer adequadamente a sua missão.

2. Monte um plano de negócio

Um fato primordial: jamais tente abrir uma empresa sem elaborar um modelo de negócios, isto é, sem determinar o produto ou serviço que irá fornecer, o método de produção, o público alvo e a sua fonte de renda. Essa talvez seja a etapa mais importante para quem deseja empreender.

De modo geral, o planejamento deve descrever o objetivo a ser alcançado com o negócio e quais estratégias serão necessárias para isso, assumindo o mínimo de risco possível. Em outras palavras, você deve colocar todas as suas ideias no papel e avaliar se elas têm potencial no mercado para se tornar viável.

Para a elaboração do plano, o empreendedor deve analisar o segmento que pretende atuar, o mercado consumidor, a concorrência, os prováveis fornecedores, entre outros. Esses aspectos são importantes para dar andamento ao negócio e prever possíveis obstáculos.

3. Organize as finanças

Abrir um negócio requer um certo investimento inicial, que envolve custos com infraestrutura e pessoal, matéria-prima, compra de insumos, contratação de serviços, entre outros. Nesse sentido, depois dos investimentos iniciais, é preciso organizar as finanças para ter controle efetivo do lucro que a empresa vai gerar ou, até mesmo, conseguir pagar algum empréstimo que precisou realizar.

Além disso, separe as finanças pessoais e da empresa, e não faça retiradas de caixa para efetuar compras desnecessárias ou fora das datas predeterminadas. Assim, você conseguirá organizar as finanças e manter o controle financeiro do negócio, resguardando-se em casos de gastos inesperados.

Planejamento de contas

Para manter as despesas do seu negócio, você precisará ter uma noção da quantia de dinheiro necessária para arcar com todos os custos, tanto fixos (aluguel, energia, internet, funcionários, impostos etc.) quanto variáveis. Isso porque, principalmente durante o período inicial de adaptação, não há entrada significativa de recursos no caixa, o que tende a dificultar o pagamento de todas as contas.

Portanto, traçando essa estimativa, é possível prever gastos e buscar alternativas para aumentar as suas vendas, se necessário. Nesse caso, o ideal é adotar um sistema de gestão para manter o controle financeiro automatizado — o que, consequentemente, evita possíveis prejuízos.

Controle do fluxo de caixa

O controle do fluxo de caixa consiste em, basicamente, monitorar todas as informações referentes a entradas e saídas de dinheiro — movimentação do capital. Ou seja, por meio dele é possível prever o futuro do caixa da sua empresa.

Assim, fica mais simples organizar as despesas e realizar uma gestão eficiente do negócio, além de ajudar a prever instabilidades e tomar decisões com antecedência e mais certeiras.

Investimento no negócio

A maioria dos empreendedores não sabe por onde começar a investir ao abrir uma pequena empresa. Primeiramente, é importante identificar quais as áreas do negócio precisam de um olhar mais apurado.

Sem dúvida, o ideal é priorizar o investimento nos setores associados à capacitação de colaboradores, à retenção de clientes e ao atendimento de qualidade — aspectos essenciais para o crescimento do negócio.

Além disso, vale considerar o momento de mercado, porque quando a economia está em alta, as empresas tendem a se beneficiar com o aumento das vendas. Por isso, é um momento interessante para investir.

Gestão financeira

Definir o capital inicial do negócio, o capital de giro, a estimativa de custos, o valor do investimento, a rentabilidade e o lucro são estratégias fundamentais para gerir bem as finanças.

A gestão financeira consiste em planejar, analisar e controlar as atividades financeiras de uma empresa por meio de ações e procedimentos administrativos. Ou seja, o seu objetivo é aumentar cada vez mais o capital do negócio, com base na geração de lucros resultantes das atividades.

Diante disso, para realizar a gestão de modo eficiente, é necessário conhecer a situação econômica da empresa e todas as informações que permitam ao empreendedor tomar as decisões mais adequadas.

4. Invista na divulgação da sua empresa

Outro fator importante a ser considerado é a necessidade de ser criativo e inovador, investindo, sobretudo, na divulgação do seu produto e/ou serviço. Se você deseja economizar dinheiro, pode começar investindo, por exemplo, nas ações on-line — que consiste em estratégias para promover uma marca na internet, utilizando, sobretudo, redes sociais, blogs, e-mail marketing, entre outros.

Isso porque, com a popularização da internet e os avanços tecnológicos, os canais on-line tornaram-se muito mais eficazes para atração de clientes e divulgação das marcas. Nesse sentido, criar sites, blogs e perfis nas redes sociais são práticas que podem ser adotadas para garantir o sucesso do seu negócio, evitando prejuízos.

5. Pense na formalização

O processo burocrático ainda é um desafio enfrentado por aqueles que desejam abrir um negócio. Como envolve diversas etapas e documentações, a formalização da empresa pode causar dor de cabeça, por isso precisa ser devidamente planejado.

Nesse caso, é essencial conhecer as etapas, como: providenciar a documentação, registrar a marca no cartório, tirar o CNPJ, obter o alvará e outros pontos mais específicos. Assim, você evita prejuízos e garante oportunidades e ganhos para o negócio.

Por fim, seguindo todas as dicas o processo de abrir um negócio se tornará mais fácil, embora seja complexo e apresente muitos estágios. Com esforço e dedicação, você conquistará bons resultados, livrando-se de equívocos que podem lhe causar prejuízos.

Agora que você já sabe como abrir um negócio, compartilhe o nosso conteúdo nas suas redes sociais. Assim, você ajuda os seus amigos a também ficarem por dentro do assunto!

Rodrigo

por Rodrigo