Cartão de crédito emprestado: quem ama empresta o cartão?

05 de dezembro / 2019 (atualizado)

O cartão de crédito é uma das formas de pagamento mais usadas no Brasil, com mais de 52 milhões de usuários. De acordo com um estudo feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito, 53% dos brasileiros possuem cartão, o que resulta em uma média de quase 2 por pessoa!

Outra prática bem comum mostrada por essa mesma pesquisa é pedir o cartão de crédito emprestado, algo realizado por 19% dos entrevistados.

Em geral, esse “empréstimo” é feito, principalmente, entre pais e amigos. Além disso, a pesquisa revelou ainda que 2 em cada 10 pessoas compram parcelado no cartão de terceiros.

Te contamos tudo isso para questionar:

  • Embora essa seja uma prática comum, será que, economicamente, ela é indicada?
  • Quais são os riscos que você está correndo ao pedir um cartão de crédito emprestado ou emprestar o seu cartão?

Para responder essas dúvidas, preparamos um conteúdo completo sobre o tema!

 

Quais são os motivos para pedir o cartão de crédito emprestado?

A falta de um cartão próprio, geralmente negado pelas instituições financeiras ou o baixo limite oferecido pelas mesmas.

E por que isso acontece?

Se você teve um pedido para cartão negado, ou ainda, recebeu um com pouco limite, considere uma das possibilidades abaixo:

  • Estar com o nome sujo na Serasa ou SPC;
  • Clientes com perfil de risco (especialmente com histórico de dívidas, ainda que todas estejam pagas);
  • Baixo Score;
  • Renda menor do que o mínimo exigido (aqui fica uma dica: cartões para uso nacional, possuem um menor valor exigido).

Para quem pedir?

Outro estudo do SPC apontou que, normalmente, as pessoas mais procuradas para solicitar o cartão de crédito emprestado são aquelas do círculo de convivência como pais (28%), cônjuges (21%), amigos (17%) e irmãos (16%).

Por que pedir? 

Os argumentos mais usados para convencer essas pessoas são:

  • Obrigação de pagar uma dívida;
  • Necessidade de fazer compras em supermercado;
  • Necessidades dos filhos.

Nós entendemos que, quando algum amigo ou familiar está passando por uma situação financeira complicada, fica difícil negar ajuda. Muitos acabam com vergonha de não emprestar o cartão, se solidarizam com o problema e acreditam que o solicitante pagará a dívida conforme o acordo que fizeram.

Mas será que realmente vale a pena se comprometer dessa forma?

 

Afinal: emprestar ou não emprestar o cartão de crédito?

Se você fosse pego(a) de surpresa com um pedido desses, o que responderia?

De acordo com os dados do SPC, 77% das pessoas dizem “sim” e, apesar de parecer mais leve na consciência, essa pode ser uma prática bem perigosa, capaz de colocar em risco mais do que a sua saúde financeira. Ela coloca em risco também o seu nome.

O mesmo estudo citado acima revelou que 7% das pessoas que emprestaram o cartão nem mesmo sabiam qual era a quantia que seria usada e, mesmo dentre aqueles que avisaram o valor, 11% acabaram consumindo mais do que o esperado.

Ou seja, mesmo se você estivesse financeiramente preparado para ter determinada quantia, ainda seria pego de surpresa com algo superior ao combinado.

Ainda não está convencido a não emprestar o seu cartão de crédito? Conheça mais alguns riscos que essa prática pode trazer:

 

A dívida do cartão de crédito emprestado é mais alta

Se você empresta seu cartão de crédito acaba ficando mais exposto a riscos do que se emprestasse a mesma quantia em dinheiro. Afinal, caso ela não honre a dívida, você terá de arcar com os juros mais altos do país, que podem ultrapassar os 300% ao ano.

 

Você pode ficar com o “nome sujo”

Em caso de não pagamento da dívida gerada, das duas uma: ou você terá que desembolsar o valor e comprometer outros itens do seu orçamento ou acabará no registro de inadimplentes e futuramente, com o nome sujo por conta de uma dívida que nem foi sua.

 

Em algum momento, você poderá precisar do seu limite

Eventualmente, é possível que você passe por alguma situação de emergência e acabe precisando usar o seu cartão de crédito. E nada pior do que descobrir, nesse momento, que o seu limite foi estourado por outra pessoa.

Se isso ocorrer, será preciso aguardar até que todas as parcelas sejam quitadas, e a sua situação emergencial acabará gerando outras necessidades, como empréstimos.

 

O amigo pode ser um mau pagador

Como você viu, existem alguns motivos que fazem com que as pessoas não consigam ter seu próprio cartão de crédito. E o mais usual é o histórico de dívidas recorrentes.

Nesse caso, você poderá ter seu cartão de crédito emprestado a alguém que não é um bom pagador, que já tem dívidas, nome negativado ou que já estourou o próprio limite de crédito. E, diante desse cenário, vale a pena se perguntar quais são as chances dele honrar a dívida com você.

Além de tudo isso, caso a pessoa acabe não pagando a dívida, a situação poderá abalar a relação de vocês, comprometendo a amizade e o companheirismo em família, criando brigas e uma situação bem estressante.

 

Há mais riscos de cair na malha fina

A Receita Federal está sempre de olho nas nossas transações financeiras. E se, de repente, você começar a movimentar uma quantia de dinheiro fora do habitual para seu padrão, isso poderá alertar o órgão.

Ou seja, você terá de se justificar à Receita e explicar os motivos por trás da movimentação. E nem sempre será simples comprovar o empréstimo do cartão de crédito.

 

Confiança abalada

Imagine a seguinte situação: você empresta dinheiro ou no caso, o cartão de crédito, para algum amigo, ou alguém da sua própria família. Essa pessoa até te promete uma data para devolver o valor, mas, com o passar do tempo o acordo entre vocês não é cumprido. Surpreendentemente, pouco tempo depois, essa mesma pessoa te faz um novo pedido de empréstimo.

E aí, você confiaria em alguém que já atrasou o pagamento uma vez e te causou tanta dor de cabeça sem ficar com o pé atrás? Ou, no mínimo, sem procurar saber se as condições daquela pessoa melhoraram a ponto dela conseguir honrar com o pagamento dessa vez?

 

Como evitar emprestar o cartão de crédito

A primeira recomendação é também a mais simples: quando alguém lhe pedir o cartão de crédito emprestado, diga não. Afinal, como você viu, os riscos são altíssimos e isso poderá comprometer, além da sua vida financeira, as suas relações.

Caso a pessoa esteja precisando de uma quantia pequena, e você queira ajudar, é mais indicado emprestar o dinheiro em espécie do que o cartão. Também considere a possibilidade de não receber essa quantia tão cedo, então não empreste o que poderá te fazer falta em um futuro próximo.

Em algumas situações, é claro, pode ser mais difícil se esquivar. Então, vale a pena até mesmo “apelar” para uma desculpa. Contudo, o mais indicado é sempre ter uma conversa sincera e direta, explicando que você não deseja abalar a amizade e que não quer comprometer seu orçamento financeiro, já que isso poderá lhe trazer dívidas e complicações.

Procure também se colocar no lugar da pessoa e, na medida do possível, orientá-la aos riscos de estar gastando mais do que poderá pagar. Explique também sobre as altíssimas taxas de juros que o cartão de crédito traz.

Por isso, se alguém pedir seu cartão de crédito emprestado, tente ser gentil, mas não esqueça de ser firme, e recuse essa solicitação, mantendo a sua vida financeira em dia.

Gostou das nossas dicas? Curta a nossa página no Facebook e receba outros conteúdos legais como este!

Vistar o blog

Marcella Menasce

por Marcella Menasce