Nome limpo, e agora?

26 de maio / 2020 (atualizado)

Em tempos de alta histórica do número de brasileiros inadimplentes (63,8 milhões segundo o último levantamento feito pela Serasa Experian) quem consegue boas condições para negociar uma dívida e ficar com o nome limpo, é rei.

Se você realizou esse feito ou está prestes a quitar o seu acordo, a gente te deseja parabéns, essa é uma grande meta financeira conquistada! Mas saiba que o desafio não para por aí: pesquisas realizadas pela empresa administradora de crédito SCPC Boa Vista, indicaram que 60% dos brasileiros voltam a ter nome sujo em menos de 1 ano, após o pagamento das dívidas.

Nesse texto, vamos dar dicas sobre o que fazer para manter o seu nome limpo e passar bem longe dessa estatística.

 

Mantendo o nome limpo

Se tem uma coisa que os momentos de dificuldades nos trazem,  é aprendizado.  Por isso, fizemos uma lista dos exemplos mais comuns de quem já passou pelo sufoco do endividamento, para que você mantenha o seu nome limpo daqui para a frente:

 

Não empreste o seu nome

Amigos, amigos, boletos à parte: emprestar o nome para alguém é uma das causas de endividamento mais comuns no Brasil. Fazer um crediário no seu nome para uma outra pessoa ou emprestar o seu cartão de crédito é se arriscar a cair num buraco fundo de novas dívidas negativadas.

A gente sabe que às vezes é difícil dizer não, e nesse caso vale uma boa e sincera conversa sobre como foi difícil conquistar o nome limpo novamente e os impactos que esse empréstimo pode causar no seu orçamento.

 

Conheça a sua nova realidade financeira

Agora que você quitou as suas dívidas, equilibrar ganhos e gastos é fundamental, não só para manter o nome limpo, mas também para entender onde estão as suas maiores despesas, o que pode ser cortado e como conseguir poupar para realizar aquele sonho de longa data.

Para ajudar nessa missão a tecnologia está cada vez mais a nosso favor. As velhas planilhas estão dando lugar aos novos aplicativos de organização financeira.

Nossa equipe testou vários deles, e o Guiabolso sem dúvidas se mostrou o mais completo. Um verdadeiro canivete suíço da gestão financeira: uma interface amigável e fácil de utilizar, o aplicativo permite que você informe toda a sua renda (seja ela vinda de remuneração, bônus ou fonte extra), vincule a conta do banco, faturas de cartões e o saldo de investimentos, em um único lugar.

Simples assim, você tem o seu planejamento financeiro todos os meses na palma da mão.

 

 

Se depois de fazer uma faxina nas suas contas, você perceber que precisa de uma ajuda extra no orçamento, um fôlego financeiro, pelo mesmo aplicativo também é possível cotar e solicitar um empréstimo. Simples, seguro e 100% digital, do jeito que a gente gosta!

 

Mude hábitos perigosos para o bolso

Para manter o nome limpo vale prestar atenção nos detalhes: você anda comprando por impulso como forma de aliviar o estresse?  Ou já virou rotina usar o cheque especial?

Preste atenção se isso estiver acontecendo de forma recorrente. Repensar seus hábitos é a saída  para um novo estilo de vida mais saudável para você e suas finanças. 

 

Tenha uma reserva para emergências

Uma pesquisa mostrou que no Brasil, apenas 35% da população possui esse dinheiro destinado às situações não esperadas. A reserva de emergência é aquela amiga que te salvará nas horas de maior aperto.

Não corra o risco de se endividar novamente em função de algo que não estava no cronograma, para  isso, recomenda-se que essa reserva seja suficiente para cobrir as suas despesas por um período de 3 a 12 meses.

Honestamente? O que vale mesmo é começar com o valor que estiver dentro de suas possibilidades.

 

Educação financeira nunca é demais

A Educação Financeira nos possibilita fazer as melhores escolhas para o nosso dinheiro, além de ser um ótimo caminho para manter seu nome limpo.

Entender o básico sobre de taxas, impostos, juros e investimentos pode parecer difícil, mas é mais simples do que parece quando vemos aqueles especialistas de gravata falando na televisão.  Já falamos aqui no Blog sobre cursos e dicas para aprender mais sobre esse tema, vale conferir o nosso texto sobre qualificação.

É importante que não apenas você, mas que todos a sua volta, que dividem o mesmo orçamento (família, república da faculdade)  façam parte desses novos aprendizados. Por exemplo: ensinar desde cedo o valor do dinheiro para as crianças é uma ótima forma de torná-los adultos mais conscientes e ajudar no equilíbrio das contas da casa.

 

Gostou das dicas? Então, prometa pra você que nenhum boleto será como antes!

Conheça o Blog da emDia 

Marcella Menasce

por Marcella Menasce