Metas financeiras: estabeleça as suas

29 de abril / 2020 (atualizado)

Ter uma meta nos faz ir além, seja ela pessoal ou profissional. Com as finanças não é diferente, as metas financeiras são as responsáveis pelas nossas conquistas e nos ajudam a ter disciplina com o dinheiro.

 

Metas financeiras podem ser o melhor caminho para se alcançar a tão sonhada independência financeira! Mas não só isso…

Quitar uma dívida, criar um orçamento familiar, ter uma reserva de emergência, também são ótimos exemplos de metas de curto prazo que podem ser alcançadas com foco e organização!

Por isso, nesse post vamos:

  1. Explicar a importância das metas financeiras;
  2. Explicar o que são metas financeiras de curto, médio e longo prazo, com exemplos;
  3. Te ajudar a começar a traçar as próprias suas metas financeiras;

 

Então, partiu bater a meta?

 

Metas: por que são tão importantes?

Quando pensamos em metas, muitas vezes o que nos vêm à cabeça é o trabalho afinal nele, lidamos com metas de vendas, atendimento, entregas e etc…

Outra aplicação para as metas em nosso cotidiano é o esporte. Veja a corrida por exemplo: você começa caminhando, depois percorre os primeiros 5 km, depois 7km, 10km e por aí vai…

Quando batemos uma meta, nos sentimos felizes, capazes e motivados. Quando não batemos, temos que parar para observar o que deu errado e o que faltou para conseguirmos.

Quando falamos em finanças, as metas servem para guiar os nossos objetivos e nos mostrar o quão próximo ou distante deles nós estamos. Isso tudo na prática, nos ajuda a criar mais consciência para poupar ou investir nos gastos certos!

 

Quais são os tipos de metas financeiras?

Metas financeiras ganham seus devidos pesos e importância de acordo com o momento de vida de cada um. Se estiver muito difícil conseguir conquistar a sua, que tal dividi-lá em etapas menores?

Aqui vamos dar alguns exemplos de metas para curto, médio e longo prazo, que podem ser aplicadas.

 

Metas financeiras de curto prazo:

Aqui falamos sobre tarefas mais simples, mas que são a base para evoluirmos!

  • Se você ainda não tem um orçamento familiar bem claro, essa será a sua primeira meta. Não importa quantas pessoas existam na sua família, nem se ganham muito ou pouco, é essencial conhecer e equilibrar os gastos e ganhos de todos em casa.
  • Construir uma reserva de emergênciacom o orçamento feito, você vai conhecer a sua realidade e saber quanto poderá destinar todos os meses à sua reserva de emergência. Nós já falamos dela por aqui, mas é sempre bom reforçar que ela será a sua maior aliada para evitar uma dívida futura em um momento de imprevistos.
  • Pagar contas e faturas em atraso: não deixe que as taxas de juros tornem essa uma meta de longo prazo! Pague o quanto antes contas, faturas e dívidas para já riscar essa meta da listinha, antes da bola de neve se formar!

 

Metas financeiras de médio prazo:

Com a sua base estruturada já da para começar a pensar em planos um pouco mais distantes e que exigirão mais foco no bolso.

  • Juntar dinheiro para fazer aquele curso ou qualificação profissional: sempre é uma boa hora para atualizar o currículo. Melhor ainda se você não estiver comprometendo seu orçamento ou a sua reserva de emergência. Sabemos que muitos cursos não são baratos, por isso enquanto estiver “namorando” algum veja se existe a possibilidade de parcelamento ou um bom desconto à vista e faça dessa uma das suas metas financeiras de médio prazo!
  • Viajar é mesmo incrível, mas requer uma soma de gastos entre passagens (avião ou ônibus), estadia, passeios, alimentação, seguros e até as lembrancinhas! Não importa se dentro ou fora do Brasil, os gastos sempre existirão. Por isso, o ideal é ter uma boa ideia do total a ser gasto, planejar, juntar e partir!
  • Mobiliar o seu cantinho: conquistar um novo espaço para viver, seja ele comprado ou alugado, é um enorme passo! Mas, em um primeiro momento pode não ser possível deixá-lo da forma como você sempre sonhou ou como vê nas fotos de redes sociais. Ou até é possível, contraindo uma bela dívida ( lembre-se que se isso acontecer, temos que voltar às metas de curto prazo). Por isso, deixe o que não for essencial para o médio prazo!
  • Caso você não viva sozinho e tenha pessoas na família que dependam da sua renda, lembre-se de que eles também são a sua meta. Gastos com educação, planos de saúde e até um seguro de vida devem entrar aqui.

Metas financeiras de longo prazo:

Essas são aquelas metas que estão mais distantes, mas que pedem um planejamento durante boa parte de nossas vidas, então não dá para deixar para a última hora!

Muitas pessoas procuram como suas maiores metas de longo prazo a aposentadoria. Se essa também for a sua, para você saber quanto precisará economizar de sua renda leve em conta se o seu local de trabalho contribui todos os meses com um percentual ou não.

Caso a resposta seja negativa, a sua meta pode se tornar a economia de 10 a 15% do salário, por exemplo, dessa forma você conseguirá garantir, ao longo da vida, a sua aposentadoria.

 

Como traçar metas financeiras?

Se você já tem as metas em mente, mas não sabe por onde começar, o primeiro passo é responder às seguintes perguntas:

Essa meta é realista? Aqui temos que ter o pé no chão, conhecer realidade, hábitos e perspectivas que temos para concretizar. Não adianta pensar em coisas que dependem de ganharmos na loteria para acontecerem! Seria ótimo, não?

Essa meta é relevante para os seus objetivos de vida? Pense o quanto você irá lutar para conquistar, então, preferencialmente que seja uma meta que te fará crescer e que esteja dentro do que você busca e acredita com seus objetivos.

Eu consigo traçar um prazo para cumprir ou começar a cumprir essa meta? Os prazos têm tudo a ver com o que falamos nesse texto, sem eles não conseguimos definir o tamanho do esforço presente e futuro para a concretização de uma meta.

Se você já teve uma meta que falhou, consegue identificar o que te impediu de realizá-la e o que poderia fazer para ter melhoras nesse ponto?

 

Finalmente…

Quando todas as respostas estiverem na ponta da língua é hora de partir para a prática: somar, organizar, poupar, executar e principalmente: acreditar!

Aqui fica uma dica importante: dê nomes reais às suas metas!

Elas se tornam muito mais tangíveis, quando colocamos nomes e os escrevemos, do que simplesmente pensarmos ” minha meta é economizar dinheiro”! ?

 

Gostou desse texto? Compartilhe em nossas Redes Sociais quais são as suas metas financeiras e como nós da emDia, podemos ajudar a concretizá-las!

 

Conhecer a emDia

Marcella Menasce

por Marcella Menasce