Reserva de emergência: descubra como fazer a sua

20 de março / 2020 (atualizado)

Reserva de emergência é o dinheiro que vai te salvar nas horas de maior aperto. Entenda porque ela é a melhor amiga do seus dias de luta!

 

O QUE SIGNIFICA NA PRÁTICA?

Poupar esse dinheiro agora pode parecer sem sentido, pois é comum pensarmos muito mais no presente do que no futuro. Afinal, quem não quer aproveitar o melhor da vida agora?

Mas, pense que na prática, a reserva de emergência é aquela grana que você vai precisar usar nas horas “não tão legais”, e os exemplos são muitos:

-Doenças na família;

-Imprevistos em casa como vazamentos ou eletrodomésticos que simplesmente pararam de funcionar;

– O desemprego te pegou;

-O conserto do carro que você depende todos os dias para se deslocar.

E por aí vai…

Ninguém tem bola de cristal, não é mesmo? Então, antes de apostar que essas coisas não acontecerão conosco, o melhor se fazer é organizar o bolso!

E não estamos sozinhos nessa, uma pesquisa mostrou que no Brasil, apenas 35% da população possui esse dinheiro destinado às situações não esperadas. E mesmo quem investe em ações ou fundos, deve ter uma reserva separada para utilizar enquanto não puder retirar os investimentos aplicados.

 

Por que a reserva de emergência é tão importante?

Imagine se as emergências, que dão nome a essa reserva financeira, além de serem situações psicologicamente difíceis de passarmos, ainda acabarem virando uma dívida?

Isso é o que pode acontecer quando você se depara com um imprevisto, não prepara a reserva e acaba tendo que recorrer a um empréstimo como solução (seja com um banco ou com um amigo).

Uma reserva te salvaria de virar um refém das taxas de juros e de ter esse “novo” compromisso em seu orçamento por tempo indeterminado.

Já imaginou a bola de neve que isso pode virar?

 

QUAL A HORA CERTA PARA COMEÇAR UMA?

Como falamos no começo desse texto, imprevistos acontecem o tempo todo!

Por isso, quanto antes for possível você começar a dedicar um valor para a sua reserva melhor.

Mas, se você tem pendências de pagamentos em andamento, que podem comprometer os itens básicos da sua sobrevivência tais como: contas de luz ou água, em atraso, priorize esses, já que são serviços que podem ser cortados ao longo do tempo

Mas não enrole, assim que quitar o débito, reserve todo mês a sua graninha da emergência para não cair em situações como essa novamente!

 

QUAL A HORA DE PARAR DE JUNTAR O DINHEIRO DA RESERVA?

À princípio, tendemos a pensar que quanto mais melhor, certo? Não está errado nesse caso, mas existem indicações do quanto pode ser considerado um mínimo suficiente para o primeiro momento de uma crise:

Recomenda-se que a reserva de emergência seja suficiente para cobrir as suas despesas por um período de 3 a 12 meses. Isto é, você deve guardar o equivalente a um valor de três a 12 vezes os seus gastos mensais.

E por isso, a importância de conhecer todos eles que falaremos abaixo.

como ter uma reserva de emergência sem comprometer o orçamento?

A primeira grande dica, que vale não apenas no momento de construir a sua reserva de emergência, mas sim para o equilíbrio e o bem estar de suas finanças no geral é:

Conheça os seus ganhos e os seus gastos.

Parece óbvio, mas você já somou tudo o que ganha? Se tem um salário fixo por mês, talvez essa tarefa seja mais fácil, mas se você:

  • Ganha comissão por vendas realizadas;
  • Trabalha como autônomo;
  • Faz alguns trabalhos extra expediente, como freelancer, por exemplo;

Essa tarefa pode ser um pouco mais difícil, já que ao final de cada mês os seus ganhos serão diferentes.

Na outra ponta, existem os seus gastos fixos e variáveis (nesse texto demos alguns exemplos do que incluir em cada uma das categorias) que também devem ser somados.

Para saber se essa balança de ganhos x gastos está equilibrada, você pode contar com a ajuda de planilhas para organizar o orçamento da casa ou até mesmo de aplicativos que fazem os cálculos para você!

Por isso não podemos afirmar que existe um valor exato para dedicar a sua reserva. Mas a dica que damos é: não espere sobrar dinheiro do salário ou dos ganhos, isso dificilmente ocorrerá se não tivermos constantemente consciência e mudança de hábitos.

Dedique uma quantia à sua reserva de emergência (mesmo que pequena) todos os meses, e trate como uma conta a ser paga, assim você assume um compromisso com você mesmo!

 

ONDE GUARDAR MINHA RESERVA?

O ideal é que você coloque a quantia poupada por mês separada da sua conta do banco. Isso porque se o saldo estiver lá, pode acabar gastando sem perceber no cartão de débito.

Para isso, vale deixá-lo em uma poupança e sacar o dinheiro de lá somente quando for necessário.

Se você é um entusiasta ou aventureiro dos investimentos, vale procurar opções que apresentem baixo risco de perda e também aquelas que permitem maior liquidez. Ou seja, poder sacar na hora que precisar, já que algumas modalidades de investimentos te obrigam a esperar um determinado prazo para ter o dinheiro em mãos.

Poupança, fundos ou cofrinho o que vale mesmo é deixar esse dinheiro em um local sem movimentação constante e que você se lembre de adicionar a quantia todos os meses.

 

quitar as dívidas ou manter a reserva de emergência?

Se você já está inadimplente e/ou negativado por conta de algum outro compromisso assumido, é hora de colocar o pé no freio, analisar a situação e ver o que é prioridade.

Lembre-se:

-> Dívidas relacionadas aos serviços essenciais estão no topo da lista, já que são serviços que podem ser cortados pelo fornecedor e impactar diretamente na sua qualidade de vida;

-> Dívidas de financiamentos de imóveis ou automóveis: caso haja atraso, você pode ter o bem confiscado;

-> Dívidas relacionadas às faturas de cartão e cheque especial: essas merecem bastante atenção pelas altíssimas taxas de juros que apresentam.

 

Por isso, o recomendado é que você quite as dívidas das categorias que citamos, com o maior desconto possível, para aproveitar o dinheiro que sobrar e já começar a investir na sua reserva!

 

Quer quitar as dívidas para começar a reserva de emergência? Conte com a emDia!

Ir para o site da emDia

Marcella Menasce

por Marcella Menasce