Quais são os tipos de dívidas mais comuns entre os brasileiros?

07 de junho / 2022 (atualizado)

Quer saber quais são os tipos de dívidas mais comuns entre os brasileiros? Continue a leitura e confira!

O acúmulo de dívidas, sem dúvida, é uma das principais preocupações de milhares de brasileiros. Afinal, em cenários de crise econômica e de alta inflação, o endividamento deixou de ser resultado apenas do descontrole financeiro e se tornou algo comum, causado por fatores externos.

Independentemente do salário recebido, para conseguir realizar algum sonho ou conquistar objetivos maiores, é preciso fazer compromissos. No entanto, conhecer quais são os tipos de dívidas mais comuns permite que você tome decisões mais assertivas e se planeje da melhor forma possível para realizar o pagamento em dia.

Neste artigo, explicaremos quais são os tipos de dívidas mais comuns entre os brasileiros e listaremos algumas dicas de como quitá-las. Saiba mais!

Dívidas de cartão de crédito

A possibilidade de parcelar uma compra ou adquirir um produto mais caro, mesmo sem ter o dinheiro no bolso, faz com que as dívidas de cartão de crédito sejam as mais comuns. Acontece que, muitas vezes, o limite do crédito não condiz com a renda mensal, por isso, as pessoas acabam extrapolando o uso do cartão.

Para se livrar da dívida, busque a melhor condição de pagamento que se adapta à sua realidade financeira. Além disso, evite o parcelamento da fatura, por mais que seja muito tentador pagar apenas uma parte dela. Os juros desse tipo de dívida são os mais caros do mercado.

Lembre-se de que você não precisa necessariamente se livrar do cartão de crédito. Se souber utilizá-lo de forma adequada, o cartão pode ser um grande aliado na sua vida financeira!

Dívidas de crédito pessoal

O crédito pessoal, normalmente, é oferecido pelas instituições financeiras. Ele é um tipo de empréstimo em que o tomador pode utilizar da maneira que preferir, porém, as taxas de juros costumam ser um pouco altas.

Por isso, o ideal é ter bastante cautela antes de solicitar o crédito pessoal, analisando a real necessidade do empréstimo.

Nesse caso, para quitar as dívidas com uma instituição financeira, seja de crédito pessoal, seja de cartão de crédito, é importante primeiro entrar em contato com a sua agência e solicitar a renegociação de dívidas. Isso ajuda a obter prazos e condições de pagamentos melhores, afinal os bancos também estão interessados em receber os débitos.

Financiamento de veículos

Como os carros, principalmente os novos, costumam ter valores elevados, os consumidores acabam optando pelo financiamento de veículos. O problema é que nem sempre as parcelas são adequadas para o orçamento mensal do consumidor, comprometendo ainda mais as finanças.

Nesse caso, as taxas de juros são mais baixas e a garantia do crédito é o próprio veículo. Mas, em situações de imprevistos financeiros, as parcelas podem ficar atrasadas e aumentar a dívida a longo prazo. Por isso, é importante saber como negociar dívida com segurança.

Cheque especial

O cheque especial é um empréstimo que o banco faz para você em casos de imprevistos. É como se fosse um acréscimo do seu saldo em conta corrente. Entre os tipos de dívidas mais comuns, esse é um dos mais perigosos, sobretudo pela facilidade que a pessoa tem em utilizar o crédito disponibilizado.

Mas, ao usar o cheque especial, o banco cobra juros altíssimos, que podem chegar a quase 15% ao mês. Por isso, é importante ter uma reserva de emergência e saber como negociar dívidas. Assim, você evita pagar juros altíssimos e consegue até margem para desconto na hora de fazer alguma compra à vista.

Impostos

Também chamado dívida ativa, o débito em aberto de impostos, taxas e tributos faz com que seu nome entre para a lista de devedores do governo. Isso ocorre devido ao não pagamento de serviços à Receita Federal, que inclui IPVA, IPTU e Imposto de Renda.

O atraso do pagamento das obrigações tributárias não é a situação ideal, mesmo que aparentemente seja a opção mais viável ou de “fácil” escolha em casos de falta de dinheiro. Afinal, além das multas altíssimas, você corre o risco de ter seus bens bloqueados e perde a chance de conseguir empréstimos bancários e linhas de créditos.

Com isso, o melhor a fazer em qualquer situação é se planejar financeiramente para arcar com os tipos de dívidas mais comuns. Não se esqueça de que uma boa negociação com os credores e uma mudança de hábitos financeiros garantem bons resultados, permitindo que você pague os seus débitos em dia!

Gostou do nosso conteúdo? Então, não deixe de seguir nossas redes sociais para ficar por dentro das novidades! Estamos no Facebook, Instagram, YouTube e Twitter.

Gabriella Araujo

por Gabriella Araujo