Como quitar financiamento? Tire suas dúvidas!

15 de junho / 2022 (atualizado)

Quem nunca desejou comprar algo fora do orçamento, não é mesmo? Para isso, existem opções de concessão de crédito, como o próprio cartão de crédito, empréstimo e financiamentos.

Sim, financiar uma compra é muito comum. No entanto, o financiamento é um compromisso longo, podendo durar anos a fio. Será que quitar essa dívida mais rápido e pagando menos é uma possibilidade?

O objetivo deste artigo é explicar como quitar financiamento e esclarecer outras perguntas comuns sobre o assunto. Se você deseja saber mais sobre esse tema e sanar suas dúvidas, siga com a leitura!

Como funciona o financiamento?

O financiamento é quando uma instituição financeira concede crédito por meio de um contrato para uma pessoa. Caso você precise comprar uma casa, por exemplo, é possível pegar esse tipo de empréstimo e fazer o financiamento imobiliário. Existem diversos tipos de financiamento, como de veículos, imóveis, estudantil, entre outros.

Ao contrário de outros meios de obtenção de crédito, o financiamento serve para um fim específico. E essa finalidade é analisada pelo banco, que tem o bem adquirido como garantia do pagamento das parcelas.

Ele pode funcionar de modo diferente, a depender da instituição financeira que o concede. No entanto, é baseado no bem que vai ser adquirido. O valor do financiamento pode diminuir, caso seja dada uma entrada, mas isso não ocorre sempre.

A próxima etapa é a verificação da documentação, que é muito importante. Nesse momento, o banco vai analisar o perfil do indivíduo, seu score e, a partir daí, aprovar ou não o financiamento.

Processo de pagamento

No caso de o financiamento ser aprovado, a instituição vai apresentar todas as formas de pagamento. Há a opção de dar uma entrada e pagar o restante em prestações ou apenas parcelar o valor.

Tempo, juros e alteração eventual do valor também serão acertados nessa etapa. Caso ambas as partes concordem, o contrato é assinado e o financiamento já começa.

Como quitar financiamento mais rápido?

Ao adquirir esse tipo de dívida, é interessante quitá-la o mais rápido possível. Mas, antes disso, é preciso saber como um financiamento é formado. Basicamente, o financiamento consiste na soma entre o valor contratado (ou amortização), os juros, as taxas administrativas e os eventuais seguros aplicados na transação.

E por que pode ser interessante quitar as parcelas com antecedência? Simples: com o adiantamento você paga menos juros.

As instituições financeiras permitem realizar a amortização do financiamento mais rápido, o que é benéfico para o devedor, que tem mais opções. Esse pagamento pode ser feito com recursos próprios ou com o saldo do FGTS.

No primeiro caso, é possível negociar junto ao banco a amortização do financiamento com o saldo da conta, caso existam recursos. Décimo terceiro salário, qualquer bônus ou recurso extra pode somar e entrar como uma força extra para conseguir o valor total necessário

O saldo do FGTS também pode ser usado. Nesse caso, o saque do fundo para quitar dívidas pode ser feito de dois em dois anos. É bom conversar com a instituição para verificar essa possibilidade.

Existe também a possibilidade de quitar apenas uma parte da dívida. Essa é uma opção para quem deseja manter uma reserva financeira para imprevistos e, mesmo assim, quer quitar uma parte do financiamento para diminuir os juros. Para isso, é preciso calcular bem o custo-benefício da ação e conferir com o banco responsável pelo financiamento qual é a melhor opção.

Qual a melhor forma de quitar financiamento?

Você já se perguntou como quitar financiamento da melhor forma? A resposta, como na maioria das vezes no mundo financeiro, é: depende. Seu estilo de vida, planejamento financeiro e renda têm influência direta nessa decisão.

Por exemplo, as aplicações em investimentos, em qualquer grau de rentabilidade, podem ser usadas como meio de obter dinheiro e pagar o financiamento, garantindo juros menores e sem prejudicar seu orçamento.

Em outros casos, fazer um planejamento financeiro e incluir o saldo do FGTS e décimo terceiro salário, que são fontes de renda que não fazem parte do dia a dia, podem ser uma boa ideia.

Quando vale a pena quitar um financiamento?

O valor do Custo Efetivo Total (CET) dá uma boa noção sobre se vale a pena ou não quitar o financiamento antes do tempo. O CET, importante alertar, não é o mesmo que juros. Ele inclui, sim, os juros, mas também abrange os seguros, a taxa administrativa e o IPCA associado.

Você pode, por exemplo, comparar o valor do desconto em uma parcela de financiamento adiantada com o rendimento que teria na aplicação de igual montante em renda fixa ou alguma oportunidade de mercado. No fim das contas, esse julgamento depende de cada pessoa e de cada caso.

É possível usar, para isso, a calculadora de quitação antecipada. Esse cálculo é disponibilizado gratuitamente no site do Ministério Público de Santa Catarina e em vários outros.

Existe desconto para quitar financiamento?

Sim, existe desconto para quitar o financiamento. Ao pagar as parcelas antes do prazo, os juros incidentes são abatidos proporcionalmente ao tempo de adiantamento.

Em outras palavras, isso significa que a dívida é paga com desconto. As parcelas já pagas, no entanto, não são alteradas.

É melhor quitar um financiamento ou investir o dinheiro?

De modo geral, amortizar o financiamento é a melhor opção. Entretanto, é importante avaliar cada situação, visto que existem investimentos que podem ser bastante rentáveis.

Quem entende do assunto aconselha a priorizar as dívidas. Na maioria das vezes, o custo dos juros é maior do que os rendimentos de investimentos mais comuns, como a caderneta de poupança, o Tesouro Nacional, entre outros. De forma simples, se a taxa de juros do financiamento for maior do que a do investimento, vale mais a pena quitar a dívida.

No entanto, há casos específicos em que, mesmo com dívida de financiamento, pode ser viável investir. Essa é uma recomendação nos casos em que o indivíduo já conhece um pouco sobre o mercado financeiro e a rentabilidade de investimentos. Caso opte por investir, é preciso verificar:

  • taxa de juros de cada aplicação;
  • presença de uma reserva de emergência;
  • investimentos seguros.

Como se planejar financeiramente para quitar o financiamento?

Você pode se planejar, juntar o dinheiro necessário e amortizar as prestações. Para isso, eliminar gastos desnecessários é uma boa ideia, além de conseguir uma forma adicional de renda ou vender bens.

O décimo terceiro salário também é um modo excelente de quitar dívidas antecipadamente. Em geral, como o financiamento é concedido com base no valor do salário, o décimo terceiro pode conseguir cobrir cerca de três parcelas da dívida.

Lembre-se de que, após quitar o financiamento, é preciso se educar financeiramente e evitar contrair dívidas de longo prazo, especialmente as que comprometem demais o seu orçamento. Assim, é possível sobrar dinheiro no fim do mês, evitando problemas financeiros.

Por fim, podemos dizer que vale a pena quitar um financiamento a depender do seu objetivo financeiro e de quanto vai custar essa decisão. Se você tem dinheiro guardado e deseja utilizar parte ou totalidade desse saldo para amortizar suas parcelas, essa é uma excelente opção.

Quitar o financiamento, assim como investir, exige muita atenção. Por isso, é importante aprender como quitar financiamento e saber as vantagens de fazer isso.

Esperamos que você tenha gostado deste post. Aproveite a visita e não deixe de conferir como pagar dívidas com desconto!

emDia

por emDia