Vida minimalista: conheça e veja como adotar

28 de fevereiro / 2020 (atualizado)

A vida minimalista veio para combater o consumo exagerado. Com o avanço da tecnologia, o consumo ficou mais fácil e deu início a uma onda de desperdício, especialmente por conta da chamada fast fashion. Mas, nos últimos 10 anos, tivemos maior conhecimento sobre o quanto isso pode ser ruim para nosso planeta.

O estilo de vida minimalista se tornou popular por conta de pessoas como Marie Kondo, de documentários sobre o assunto, como o Food, Inc, Cowspiracy, entre outros. 

Quer entender melhor como funciona o minimalismo e o que você precisa fazer para seguir essa rotina? Acompanhe!

 

O que é a vida minimalista?

O consumo sem limites e a ideia de que comprar cada vez mais coisas é igual à felicidade nos levou a dois grandes problemas.

O primeiro deles é ambiental: nosso planeta está sofrendo as consequências desse pesado ritmo de produção e consumo em que vivemos.

O segundo é pessoal: hoje, parece que não nos sentimos mais completos, mesmo quando compramos de tudo

Você já teve que fazer hora extra para pagar as dívidas ou faturas do cartão de crédito?

Às vezes, as dívidas acabam acumulando. A falta de espaço físico para guardar todos esses produtos (que não serão tão usados quanto imaginamos) contribui para essa sensação de que tudo está pesado.

O estilo de vida minimalista é o oposto desse consumismo e dos sentimentos negativos. Além disso, ele pode ser ótimo para suas economias.

 

O minimalismo

A primeira coisa a se aprender sobre a vida minimalista é que ela não é uma receita de bolo.

Existe um mito sobre a vida minimalista que diz que devemos viver com quase nada. Mas sabemos não é bem assim que funciona! Ser minimalista não significa consumir quase zero coisas. O objetivo do minimalista não é viver com pouco, mas viver com o que é necessário e importante.

Se você assistiu Mogli, deve se lembrar do Urso Balu cantando “somente o necessário, o extraordinário é demais”! Parece que o simpático personagem já entendia tudo sobre minimalismo!

Quem adota o estilo de vida minimalista é desapegado de bens materiais. Mas nem todo mundo encara o minimalismo da mesma forma. Você pode ser minimalista simplesmente ao evitar o desperdício e deixar suas coisas organizadas.

E se engana quem pensa que minimalismo é para quem tem muito dinheiro! A Nathaly Dias, mais conhecida como Blogueira de Baixa Renda, gravou em seu canal do Youtube uma série apenas sobre esse tema. Vale a pena conferir!

 

5 vantagens da vida minimalista

A seguir, conheça os principais benefícios em se tornar minimalista.

1. Você economiza!

Consumir menos também significa gastar menos. E você sabe o que acontece quando gastamos menos?

Aumentamos as chances de ganharmos mais do que gastamos e viramos a balança financeira a nosso favor! Se você não se sente muito confortável com essa filosofia da vida minimalista, também existem vantagens além dessas quando você o adota em sua rotina.

Você também vai dar maior valor ao seu dinheiro, consumindo de maneira mais consciente e escolhendo melhor onde está investindo suas horas de trabalho.

2. Maior sensação de liberdade

Vivendo apenas com o que é importante para você, a sensação de estar sobrecarregado vai deixando sua vida pouco a pouco. 

Essa sensação começa a ser substituída pela sensação de liberdade. Desapegar dos bens materiais deixa sua mente mais livre para outras tarefas ou para focar em outras coisas importantes, como a família e os amigos.

3. Maior criatividade e produtividade

Com a sensação de liberdade mental que a vida minimalista proporciona, a criatividade e a produtividade também ganham espaço. Quanto mais coisas a gente tem, maior é o tempo que elas consomem do nosso dia a dia, e você sempre vai achar que não tem o suficiente!

4. Melhor habilidade para se planejar e organizar

No minimalismo, planejamento e organização são fundamentais. Se você for uma pessoa com dificuldade para se organizar, pode desenvolver isso bem rápido com a prática.

Não se surpreenda se, algum tempo depois de adotar a vida minimalista, você já esteja ensinando as pessoas a serem mais produtivas, organizadas e disciplinadas!

5. Mais tempo para fazer o que ama

Existem coisas que amamos fazer, adoramos fazer e gostamos de fazer. Algumas consomem mais tempo. Outras nem tanto. Na correria, acabamos por fazer o que dá tempo no dia a dia.

Mas essas coisas são realmente o que amamos fazer? Qual seu hobby favorito e a quanto tempo você não consegue se dedicar a ele? Já pensou nisso? 

Praticar um esporte, jogar videogames ou acompanhar os filmes do ano com a pessoa que ama: adotar uma vida minimalista pode fazer com que você tenha mais tempo para fazer tudo isso.

Questões sobre como ser mais produtivo, como ter mais tempo livre e como economizar dinheiro são pesquisadas muitas vezes no Google. Isso nos faz perceber que o estilo de vida minimalista está se tornando uma necessidade.

 

Como ter uma vida minimalista?

Agora que você já entendeu os benefícios do minimalismo, imaginamos que esteja se perguntando como é possível aprender mais sobre esse estilo de vida que vem sendo a tendência do momento.

Confira, abaixo, algumas das sugestões que separamos para você!

1. Livro e Série Ordem na Casa, Marie Kondo

Trazendo ideias filosóficas e religiosas, a japonesa Marie Kondo alcançou sucesso com seu inovador método de organização, baseado em uma pergunta: “esse objeto me traz felicidade?”

Se a resposta for sim, você deve ficar com ele. Caso contrário, deve agradecer pelo que ele te proporcionou e se desfazer dele.

A série de Marie está disponível na Netflix e se chama “Ordem na Casa”. Nela, são mostradas casas nas quais há muita bagunça e os moradores não sabem mais o que fazer.

Se você quiser aprender mais sobre minimalismo e a organização de Marie Kondo, recomendamos que leia o livro dela, no qual o método é ensinado de maneira mais detalhada.

2. No Impact Man

Esse documentário de 2009 é baseado em um livro de mesmo nome. O escritor e blogueiro Colin Beavan resolveu fazer um experimento: ele e sua família tentaram adotar um estilo de vida que não causasse impacto no meio ambiente por um ano inteiro.

Nesse tempo, a família não produziu lixo, apenas para produção de adubo. Além disso, eles não compraram bens materiais, somente comidas cultivadas localmente.

Eles também não usaram transportes com combustíveis de carbono, e eliminaram totalmente o uso de produtos de papel.

Inclusive papel higiênico!

Você não precisa seguir à risca o exemplo do blogueiro, mas ler o livro ou assistir ao documentário pode ser uma maneira de aprender práticas sustentáveis, nem que sejam poucas. Afinal, pouca mudança é melhor que nenhuma mudança.

3. Minimalism: a documentary about the important things

Um documentário da Netflix que fala especificamente sobre o estilo de vida minimalista. Ao longo do documentário, você aprende o que é o minimalismo, o que as pessoas pensam e os efeitos dessa filosofia em sua rotina.

 

Dicas para começar uma vida minimalista

Como dar o pontapé inicial para a vida minimalista? Não poderíamos finalizar esse conteúdo sem oferecer um pequeno passo a passo para começar a mudar a forma como você se relaciona com seus bens materiais.

Confira abaixo!

1. Deixe para lá o conceito de que o minimalista não tem nada

Desapegar de bens materiais não significa virar um monge. Como falamos no início, você não precisa se desfazer de todas as suas coisas, apenas do que não é mais importante e está ocupando espaço e tempo na sua vida.

2. Pergunte se seus objetos são realmente necessários

Você tem o hábito de comprar por impulso e agora está com um armário cheio de coisas que “poderiam ser úteis”, mas até hoje não foram tiradas de lá?

É porque você não se perguntou se aquele produto é realmente necessário. Você provavelmente o comprou por um bom preço e inventou motivos que pareciam reais na época.

Para evitar isso, comece a se questionar sobre a necessidade real daquele produto. Faça parecido com a Marie Kondo: pergunte se aquele bem irá realmente te trazer felicidade ou vai ser apenas mais uma coisa para limpar e organizar depois.

Quando você começa a enxergar ofertas com mais intenção e atenção, você é capaz de escolher melhor o que entra em sua casa e em sua vida.

3. Comece a praticar aos poucos

Comece aos poucos, um hábito de cada vez. O que mais te incomoda são as compras por impulso? Então desinstale aplicativos de compras e evite ir a locais com muito comércio por diversão. Por exemplo, só frequente shoppings caso necessite comprar algo lá. 

4. Planeje como vai se livrar das coisas desnecessárias

Não jogue tudo no lixo! No entusiasmo de ter uma vida mais simples e com menos coisas para ocupar seu espaço e tempo, é possível que você comece a se desfazer das coisas de qualquer jeito.

Mas não é porque algo é desnecessário para você que ele é, necessariamente, ruim para outra pessoa. Busque por projetos sociais ou de caridade que possam se interessar por suas coisas. Além disso, você também pode ver o que pode ser vendido online para conseguir um dinheiro extra.

Jogue fora apenas o que realmente não serviria para ninguém, como roupas íntimas usadas ou peças rasgadas, etc.

5. Não conseguiu de primeira? Não desista!

Mudar hábitos é algo mais difícil que parece. Apesar de os primeiros dias serem os mais fáceis por conta da animação, a verdade é que as recompensas por adotar o estilo de vida minimalista vêm depois de certo tempo.

Por isso, depois das primeiras semanas, talvez você se sinta menos motivado. É nesse momento que os primeiros deslizes começam a aparecer. Se isso acontecer com você, nossa recomendação é: não desanime!

Recomece e tente de novo. Na maioria das vezes, adotar novos hábitos é apenas uma questão de persistência, mesmo nos dias em que você não consegue seguir o cronograma.

Mas lembre-se: amanhã é outro dia para tentar de novo!

 

Então, que você acha da vida minimalista? Já pensou em adotar esse estilo de vida e liberar mais tempo e espaço para o que realmente importa? 

Para mais dicas como essas, visite o nosso Blog!

Visitar o Blog

Marcella Menasce

por Marcella Menasce