Como quitar dívidas: 5 dicas para você começar agora!

06 de outubro / 2021 (atualizado)

A vida adulta é repleta de responsabilidades que, na sua grande maioria, envolvem gastos e mais gastos. Com o tempo, podemos relaxar, ter algum imprevisto e simplesmente perder o controle de tudo, construindo uma bola de neve e dificultando tarefas como quitar dívidas já feitas.

Pensando nisso tudo, queremos ajudar você a dar um basta nessa situação e desfrutar uma vida financeira mais saudável, topa? Então é melhor apertar os cintos e vir com a gente até o fim deste conteúdo. Aproveite a viagem!

É possível quitar dívidas?

Nós sabemos que, em algumas situações, a dívida parece tão grande que soa impossível de quitar. Mas pense nela como um monstro gigante que precisa ser atacado por partes. Primeiro, você dá aquela pisada no mindinho e enquanto ela fica grunhindo de dor você vai socando a boca do estômago, o olho e… Bem, você já entendeu, né?

O lance é que é possível quitar as suas dívidas, desde que você esteja disposto e comprometido a se concentrar em cada uma das etapas, tudo ao seu tempo. O segredo é ter uma estratégia bem elaborada na qual se concentrar, assim, quando você acordar desmotivado e louco para sair do planejamento, terá praticamente um mapa do que fazer.

Qual é a importância de deixar o nome limpo?

Seu nome é o bem mais importante que você tem. Ele funciona como uma espécie de marca pessoal e uma referência pela qual as pessoas e instituições procuram quando querem saber se podem confiar em você.

Ter restrição no nome é praticamente uma declaração de que você não é um pagador. Seja pela razão que for, você se perdeu nos cálculos e acumulou mais dívidas do que poderia pagar, então as empresas ligam o alerta antes de conceder crédito a você.

Por isso, é importante fazer de tudo para evitar que isso aconteça. E, caso seja tarde demais, é preciso encontrar um meio para quitar as dívidas o mais rápido possível e deixar o seu nome brilhando.

Quais são as dicas práticas para começar a quitar as dívidas?

Sabemos que você quer se livrar das dívidas o quanto antes e que essa nem sempre é uma tarefa fácil. Por isso, separamos algumas dicas imperdíveis que vão ajudar você a se nortear. Confere aí!

1. Crie metas que façam sentido para você

Primeiro de tudo, preste atenção ao fato de que ninguém paga dívidas pelo prazer de deixar todo o dinheirinho suado do mês nas mãos de outras pessoas. Aliás, ninguém gosta da ideia de pagar dívidas em si. As pessoas gostam é de ir ao cinema, viajar, comprar aquela blusinha incrível e trocar de celular.

Por isso, pare de estipular suas metas com base em coisas que deixam você desanimado e pense na sensação de quitar algo que você comprou e que proporcionou satisfação, prazer ou diversão para você. E se você quer desfrutar dessa sensação de novo, foque em se livrar das contas para sobrar dimdim.

2. Organize seu orçamento

Sim, anotar tudo o que você gasta é chato, mas é um caminho indispensável para você conseguir colocar sua vida financeira nos trilhos de novo. Por isso, desenvolva o hábito de ter tudo na ponta do lápis (ou dos dedos, na tela do celular).

Faça uma divisão clara entre o que você ganha e o que precisa pagar. Categorize as despesas entre aqueles custos que você tem todo o mês e que se repetem com o mesmo valor, como o aluguel, o pacote de internet e o plano do seu celular; e os que variam de mês para mês, como o cartão de crédito, o supermercado e a farmácia, por exemplo.

Não se esqueça de criar uma categoria para o lazer, que pode ser bem pequenininha, até que você quite suas dívidas, e vá aumentando com o tempo.

3. Corte os gastos desnecessários

A gente mal se dá conta, mas entre as nossas despesas mensais sempre têm aqueles gastos desnecessários que fazem o nosso dinheiro ir pelo cano. Não sabe do que estamos falando? Pense no plano do seu celular, cujos benefícios você nem usufrui, ou aquela assinatura de TV que você assiste raramente porque está sempre trabalhando para pagar as contas.

Comece revisitando todos os gastos que você organizou na etapa anterior e então decida o que realmente é usado. Não mantenha nada que você, de fato, não desfrute. Cancele os serviços por assinatura que não usa, reduza o plano de celular e internet se for mais do que precisa, evite chamar aplicativos de carro para locais próximos e corte hábitos nocivos.

4. Renegocie suas dívidas

Uma outra dica bem legal que pode ser muito útil para quitar dívidas é renegociar os valores que você tem em aberto. Pode não parecer, mas as empresas que têm clientes inadimplentes nem sempre esperam receber esses valores. Em muitos casos, para elas são casos perdidos. Portanto, vão ficar bem felizes se você decidir pagar. Tão felizes que podem dar um desconto bem vantajoso.

Isso é bom para você, que pode quitar as contas por um valor bem abaixo do inicial, e, para elas, que receberão por uma conta que talvez nunca seria paga se fosse mantida no valor integral. Então, não tenha vergonha de procurar essas instituições e negociar um acordo da dívida.

5. Planeje o que vai fazer com o seu dinheiro

Se você já viu que a forma como vem gastando o seu dinheiro não funciona (afinal, você está endividado), mude a estratégia. Pare de olhar pelo retrovisor quando se trata das suas finanças. Quando você simplesmente anota suas despesas, está criando um histórico de compras que já foram consumadas. Inverta essa lógica.

Em vez de anotar o que você já gastou, divida os seus proventos em valores que você poderá gastar em cada categoria. Veja essa estratégia:

  • 50% no passado — em contas que já foram feitas, como aluguel, contas de água, luz, parcelamentos etc.;
  • 30% no presente — em gastos que ocorrem durante o mês, como cinema, academia, barzinho etc.;
  • 20% no futuro — em investimentos para o seu futuro, sejam cursos ou aplicações financeiras.

Como a renegociação de dívidas pode ajudar nesse sentido?

A renegociação é muito útil para consultar uma dívida ativa no seu CPF e para fazer um levantamento de tudo o que você tem em aberto. A partir daí, você pode colocar tudo no papel e analisar quais são as contas mais altas e as que mais incidem juros. Comece por elas!

Então, você terá condições de guardar um valor para quitar integralmente o saldo devedor ou para apresentar uma proposta de reparcelamento, por exemplo. Em ambos os casos, não se esqueça de incluir essas despesas lá naquele orçamento que falamos, okay? Isso vai evitar que você volte a se apertar com as contas.

Nós sabemos que ter contas em atraso são uma grande dor de cabeça e tiram a paz, por isso buscamos qualquer solução, como quitar dívidas com bancos e outras instituições, lojas e afins. Mas é importante ficar atento e não cair em golpes enquanto tenta resolver tudo isso.

Agora que você já sabe como quitar dívidas, sugerimos que confira o nosso artigo sobre o que fazer para não cair no golpe de quitar boleto em site falso! Acesse!

emDia

por emDia