Como conseguir um bom acordo na negociação da sua dívida?

28 de agosto / 2020 (atualizado)

As dívidas são um problema que nos tiram o sono. Credores ligando, juros se multiplicando e nome sujo geram muita angústia e ansiedade. Esse cenário atrapalha a realização de sonhos e a obtenção mais simplificada de créditos no futuro.

É por isso que procurar um acordo de dívida é uma das melhores maneiras de se livrar desse contratempo. Com o apoio de uma empresa especializada, então, você consegue descontos, parcelamentos amigáveis e diversas outras vantagens.

Quer saber mais sobre esse assunto? Continue a leitura. Confira as dicas para firmar um bom acordo e deixar suas contas em dia!

 

Descubra como conseguir um bom acordo de renegociação de dívida

Não é incomum que sejamos surpreendidos por situações de nossa vida que resultam em dívidas atrasadas. A partir daí, começam as cobranças insistentes por todos os meios de comunicação, eventuais restrições de créditos e muitos outros transtornos que atrapalham nosso bem-estar e tranquilidade.

Nesses casos, fazer um acordo de dívida é uma alternativa muito viável para quem realmente quer pagar as contas rapidamente e se livrar do problema. Está em busca dessa solução? Então, acompanhe as dicas a seguir e veja como conseguir as melhores condições!

 

Entre em contato com o credor

O primeiro passo para conseguir um bom acordo da sua dívida é entrar em contato com o credor. Fazer isso demonstra boa fé e permite maior liberdade de negociação do que, por exemplo, aceitar propostas prontas.

Aproveite a oportunidade para entender a situação real da sua dívida, de forma a separar o que realmente foi gasto e o que são juros e outras taxas embutidas na obrigação. De posse dessas informações, será mais fácil chegar a uma solução boa o bastante para todas as partes!

 

Estabeleça um limite para as parcelas

pilha de moedas, cofrinho e calculadora para aprender sobre educação financeira

Não adianta muito firmar um acordo de dívida se você não tiver condições para arcar com o que foi combinado naquela pactuação. Faça, portanto, um levantamento bem realista das suas contas e descubra qual seria o valor máximo de parcela que seu orçamento comporta.

É claro que pagar em menos vezes geralmente rende descontos maiores. Contudo, se a sua capacidade financeira não permite isso no momento, é mais interessante escolher uma parcela menor e renegociar futuramente, caso sua situação financeira venha a melhorar.

 

Leia o contrato com atenção

Um homem fazendo anotações sobre qualificação profissional, com uma xícara de café e um computador a sua frente

O contrato é o documento que contém todos os termos da negociação. Caso alguma coisa saia errada ou ocorra algum imprevisto, é com base nele que tanto as partes quanto o Poder Judiciário vão se orientar. No entanto, na prática, pode haver cláusulas um pouco diferentes do que foi combinado e que podem ocasionar grandes dores de cabeça.

Antes de assinar, é importantíssimo que você leia tudo atentamente e peça a opinião de um advogado. Ele saberá informar se as cláusulas estão redigidas corretamente e se o documento está de acordo com a legislação vigente. Pode dar um pouco de trabalho, mas pode ter certeza de que vai compensar no futuro!

 

Peça descontos para ter um bom acordo da sua dívida

Ao negociar um acordo, os credores costumam apresentar propostas que são previamente determinadas. No entanto, é muito conveniente que você peça descontos e barganhe ao máximo.

Por isso, quanto mais informações você reunir sobre a natureza do débito, melhor. Essa dica é muito importante especialmente para quem pretende realizar o pagamento à vista. Nesses casos, em geral, a dívida pode ser reduzida em mais de 70%, sabia?

 

Conheça os erros mais comuns na hora de realizar um acordo de dívida

Durante o processo de renegociação de dívida, existem alguns erros clássicos que você não pode cometer. Eles podem deixar os termos da negociação onerosos demais ou resultar em ainda mais contas a pagar! Portanto, conheça alguns deles a seguir e evite ao máximo cometê-los.

Não aceite vendas casadas

A venda casada é uma prática que consiste em vincular um produto à compra de outro. Ou seja, você só vai conseguir renegociar a dívida se pegar mais dinheiro emprestado ou adquirir um seguro, por exemplo.

Embora essa prática seja proibida pelo Código de Defesa do Consumidor, ela ainda é bem comum em alguns bancos e outras instituições financeiras. Portanto, se você perceber que o credor está tentando empurrar um produto como condição para o acordo, não aceite!

Renegocie as dívidas corretas

pessoa cortando cartões para fugir do ciclo de endividamento brasileiro

Se você tem mais de uma dívida, precisa escolher bem quais delas vai negociar primeiro. Sabemos que algumas empresas podem ser mais incômodas que outras. Por isso, talvez você sinta um impulso de negociar com o credor mais insistente primeiro.

No entanto, isso não é o mais recomendado. O ideal é que você faça um acordo da sua dívida mais cara antes das demais. Ou seja: aquela com uma taxa de juros maior e mais difícil de pagar, ainda que esse seja o credor mais silencioso.

Tome cuidado com os prazos prolongados

Em meio à apreensão de se livrar das dívidas, muita gente aceita parcelamentos bem longos. No entanto, isso pode ser uma grande armadilha! Você vai se comprometer por muitos anos, afinal de contas, e provavelmente pagar juros bem elevados.

Além de ser uma forma de acordo mais cara e pouco vantajosa, ainda vincula você ao débito por muito tempo. Tal situação pode atrasar a regularização do seu crédito e impedir o financiamento de um carro ou imóvel no futuro, por exemplo.

Questione o custo final do acordo

Muitas vezes, ao analisarmos uma proposta de acordo de dívida, consideramos apenas o valor da parcela e o número de meses envolvido na nova pactuação. Com isso, esquecemos de questionar o montante final do acordo.

Contudo, deixar de observar esse valor pode significar substituir uma dívida por outra. Em alguns casos, o custo final do parcelamento pode ser duas ou até três vezes maior do que o montante atual da sua dívida. Desse modo, pode não valer tanto a pena fechar negócio, não é?

O acordo de dívida é uma ótima solução para se livrar das contas e deixar o CPF em ordem. No entanto, mais importante que isso é aprender a lidar melhor com suas despesas e finanças em geral. Estudar sobre educação financeira vai impedir que você caia em ciladas e ajudar a arcar com o acordo firmado. Para isso, a emDia tem as melhores soluções, podendo negociar sua dívida com descontos de até 90%. Incrível, não é?

Fechando na emDia, uma plataforma digital para negociação, além do mais, tudo o que foi mencionado até aqui se aplica em sua integralidade. Mais do que o desconto, poderá contar com todas as facilidades que uma plataforma digital oferece para seu acordo de dívida!

Está esperando o que para sair do vermelho? Entre em contato com a gente e tire as suas dúvidas agora mesmo!

Ir para o site da emDia

Marcella Menasce

por Marcella Menasce