5 efeitos perigosos das dívidas na saúde física e mental!

08 de outubro / 2020 (atualizado)

Se no fim do mês não há dinheiro suficiente para quitar dívidas ou pagar contas, a preocupação toma conta da rotina. E se ela é recorrente, a sua saúde física e mental pode ser prejudicada. De acordo com uma pesquisa de 2017 do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 69% dos inadimplentes sofrem com ansiedade quando enfrentam essa realidade.

Nem todo mundo consegue reunir forças para se organizar financeiramente e conservar a qualidade de vida. Segundo o levantamento, pelo menos 16,8% das pessoas que não consegue pagar contas descontam a ansiedade em algum vício, como a comida, a bebida ou o cigarro. Mas com alguns cuidados e novos hábitos, é possível dar a volta por cima mais facilmente.

Essas constatações são muito graves, e agora que você já conhece um pouco mais a respeito delas, que tal entender melhor sobre o assunto? Conheça 5 efeitos perigosos das dívidas para nosso bem-estar e saiba o que fazer para não entrar para as estatísticas!

Quais são os efeitos das dívidas na saúde física e mental?

homem consultando seu cpf cancelado

Os efeitos das dívidas na saúde física e mental são variados. Nem sempre eles aparecem sozinhos, e é comum que uma pessoa lide com mais de um ao mesmo tempo. Agora, vamos mostrar os 5 principais casos, para você ficar de olho!

1. Insônia

Cerca de 54,8 milhões de brasileiros não conseguem dormir bem por causa do endividamento, conforme mostra uma pesquisa do Instituto Locomotiva em parceria com a Negocia Fácil, um serviço de cobrança digital. Você se encaixa nessa estimativa?

A insônia acarreta inúmeros outros problemas e complicações de saúde. Para muito além do estresse e da mente que nunca descansa pensando nas dívidas, esse distúrbio do sono causa estafa, fadiga, mal-estar, dores de cabeça fortes, ardência nos olhos e até mesmo obesidade.

A falta de concentração e o cansaço excessivo do corpo e do cérebro ainda prejudicam, e muito, a produtividade. Em especial no trabalho, afinal, a pouca confiança na vida financeira pode se tornar um preocupação grande a ponto de diminuir o foco e a energia.

2. Ansiedade

A ansiedade não está atrelada somente ao estresse de pensar em como resolver os problemas financeiros. Há quem passe a aderir a outras práticas prejudiciais para tentar suprir esse incômodo. Os resultados de um levantamento nacional de 2016, feito pelo SPC e pela CND, mostrou que quatro em cada dez consumidores inadimplentes têm o hábito de fazer compras por impulso, inclusive quando reconhecem o cenário desfavorável em que se encontram.

O que faz com que tudo piore e a ansiedade continue em alta. Para completar, há ainda o medo frequente de que seja tarde demais para buscar uma solução, o que gera atrasos nas tomadas de decisão e pode agravar novamente as finanças.

3. Baixa autoestima

A partir do momento em que fazem parte da lista de devedores, ainda segundo o levantamento do SPC e da CNDL, 6 em cada 10 inadimplentes ficam com a autoestima baixa. Isso porque se sentem incapazes de lidar com a situação financeira e, por consequência, preferem se isolar socialmente.

A vergonha de contar para a família sobre sua condição também interfere na questão. Responsáveis pelo sustento dos parentes, principalmente, costumam carregar uma carga ainda mais pesada nesse quesito, uma vez que a situação financeira está diretamente ligada ao bem-estar de outras pessoas.

4. Depressão

Quem não consegue lidar com as dívidas fica constantemente sob pressão e estresse. E isso pode desencadear a depressão, especialmente em pessoas com predisposição genética. O que é muito preocupante, porque uma em cada cinco pessoas já enfrentou, enfrenta, ou ainda enfrentará um quadro da doença em algum momento da vida.

Não é difícil relacionar o efeito que as dívidas têm em um indivíduo depressivo. Afinal, ele convive todos os dias com a angústia das cobranças, a ansiedade para saber como solucionar a questão e a realidade financeira que já não vai muito bem.

Diante disso, é normal que ele se sinta mal-humorado, desmotivado e pessimista. A apatia para com o mundo exterior, se convertida em uma situação aguda, começa pelas dívidas, mas pode afetar todas as outras prioridades de vida.

5. Gastrite

Procurar consolo em vícios alimentares, no tabagismo e no alcoolismo é o que intensifica os números de endividados que desenvolvem gastrite. Como não se hidratam e nem se alimentam corretamente, priorizando apenas o consumo desses produtos que fazem mal para a saúde, as células gástricas do organismo são rapidamente destruídas.

A depender do caso, há ainda aquela parcela de indivíduos que depende de medicamentos, seja para depressão, ou para outras causas associadas ao endividamento. Quanto maior e mais constante o consumo, maior é a inflamação das partes internas do organismo.

Como atuar para melhorar esses sintomas e levar uma vida financeira mais tranquila?

Para que você fuja do efeito “bola de neve” e possa cuidar melhor de sua saúde física e mental, organizar a sua vida financeira deve ser prioridade. Mas fique tranquilo, porque não é preciso se desesperar para simplesmente quitar todas as dívidas de uma única vez. Pelo contrário, é muito importante ter calma para fazer renegociações inteligentes e favoráveis para seu bolso.

É possível, por exemplo, pedir juros menores ou ainda conversar a respeito de um parcelamento. É claro que, com dinheiro à vista disponível, fica mais fácil conseguir condições interessantes. Entretanto, quando isso não é possível, vale a pena verificar as reais possibilidades e ser muito sincero na hora de negociar e conversar. Nunca assuma uma responsabilidade maior do que a que você pode no momento, para que as dívidas não voltem a acontecer.

Depois, assim que você estiver com tudo em ordem, invista em dicas de educação financeira para se reestabelecer. Aprenda a poupar, a economizar e a fazer investimentos que realmente tragam um bom retorno.

Com essas boas práticas, você fica livre do endividamento e se policia para manter um planejamento mensal que garante o melhor controle de gastos e contas. E ainda prioriza a sua saúde física e mental, o que é mais importante! Se você quiser garantir seu bem-estar, pode contar com a gente: a emDia proporciona geração de acordo de dívidas, com descontos e de forma 100% digital, com o acompanhamento do acordo e das parcelas.

Para saber mais sobre como podemos te ajudar, acesse agora mesmo o nosso site!

Ir para o site da emDia

Marcella Menasce

por Marcella Menasce