Descubra o que é inflação e como ela pode impactar sua vida!

07 de dezembro / 2020

Você provavelmente já ouviu falar nela no telejornal, mas sabe exatamente o que é inflação? É importante saber não só a sua variação a cada mês, mas também entender por que acontece e como afeta as pessoas. Afinal, a inflação tem um impacto direto e indireto nas suas finanças. É por isso que os economistas se preocupam tanto com ela e sua oscilação registrada é sempre divulgada no jornal.

Atualmente, o índice mais usado para registrar o avanço da inflação no Brasil é o IPCA, calculado e divulgado mensalmente pelo IBGE. No entanto, existem outros índices, com fórmulas diferentes, que ajudam a estimar a variação da inflação na nossa economia.

Se você quer aprender de uma vez por todas o que é inflação e entender como ela pode impactar as suas finanças, então precisa ler este artigo até o fim. Nós explicaremos tudo que você deve saber sobre o tema. Vamos lá?

O que é a inflação?

homem com nome limpo levando a mão no queixo e segurando caneta

A inflação é o processo de desvalorização do dinheiro por via do aumento de preços na sociedade. Muito técnico? Ok, vamos explicar de uma maneira mais simples agora.

O dinheiro, em si, não apresenta um valor específico. Por exemplo, quanto vale R$1,00? É difícil responder. Ele vale R$1,00, oras! No entanto, para a gente saber se R$1,00 é muito ou pouco dinheiro, necessitamos conferir o que dá para comprar com ele.

Se conseguir comprar 1 quilo de arroz com R$1,00, talvez ele valha bastante coisa. Se for possível comprar só uma balinha com R$1,00, então ele vale quase nada. Ou seja: o valor do dinheiro só existe com base no que é possível comprar com ele.

A inflação é um processo que reduz o valor do dinheiro ao aumentar o preço de produtos e serviços na sociedade. Isso significa, portanto, que o dinheiro passa a ter menos poder de compra, porque os produtos no mercado estão mais caros.

Como ela é calculada?

homem com notas fiscais em mãos e calculadora

A inflação não é algo facilmente calculado. Por isso, existem vários índices diferentes usados no Brasil para tentar entender a sua variação. O principal deles é o IPCA. Ele é estimado e divulgado mensalmente pelo IBGE.

Para determinar o IPCA, o IBGE monitora o preço de uma cesta de produtos. Tal cesta contém itens de alimentação, vestuário, serviços e muito mais, levando em conta o custo de vida de famílias com renda entre 1 e 40 salários mínimos. Para fazer o cálculo, o IBGE coleta o preço desses produtos em 28 mil comércios em 11 regiões metropolitanas do país.

Além do IPCA, existem outros índices que medem a inflação. Um deles é o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). O seu foco é medir o custo de vida das famílias mais pobres. Por isso, considera o padrão de consumo de quem ganha de 1 a 5 salários mínimos. Isso significa, portanto, que os produtos considerados são mais de ordem essencial, como alimentação e remédios.

Outro exemplo é o IGP-M (Índice Geral de Preços — Mercado). Esse é calculado pela Fundação Getúlio Vargas. A FGV considera preços de produtos no atacado, varejo e de itens da construção civil. Na prática, tal índice é usado para ajustar o valor de aluguéis e tarifas de serviços públicos.

O que gera inflação?

mulher com expressão de dúvidas e contas matemáticas para entender o que é selic

A inflação é o processo de redução do valor do dinheiro em relação ao preço de produtos e serviços na sociedade. Mas por que isso acontece? Será que tem como perceber a razão desse movimento e evitar que ele aconteça no futuro?

Na verdade, a inflação faz parte de um movimento de ciclo da economia. Não dá nem para evitar que ela ocorra, nem apontar uma causa específica para ela. No fundo, há diversas razões que criam pressão inflacionária (ou seja, ajudam a aumentar a inflação). Confira algumas delas!

Emissão de moeda

Um dos aspectos que contribuem para criar a inflação é a emissão de moeda. É o famoso “imprimir dinheiro”. Essa é uma estratégia do Banco Central, e, em alguns casos, é importante que ele emita moeda para controlar diferentes índices da economia. No entanto, há situações em que essa emissão pode fazer com que o dinheiro perca valor e aumente os preços, devido à quantidade elevada de moeda em circulação.

Aumento de demanda

Outro motivo comum para o aumento da inflação é o crescimento da demanda. Ou seja: se mais pessoas querem um produto, a lei da oferta e demanda faz com que ele fique mais caro. Se isso acontece de maneira generalizada, a inflação cresce como um todo.

Elevação dos custos

Quando os custos de um produto ou serviço aumentam, a inflação também cresce com isso. Afinal, as empresas precisam reajustar os preços para poder compensar essa elevação nos custos.

Como ela pode impactar o cotidiano?

miniatura de carrinho de compras com cartão dentro

Normalmente, a inflação é tratada pela imprensa como algo negativo. Mas ela é ruim para a economia ou para cada pessoa individualmente também? Na verdade, as duas coisas são iguais nesse caso. Isso porque a inflação prejudica as suas finanças e, por consequência, atrapalha a economia.

Na sua vida individual, a inflação pode diminuir o poder de compra do seu salário. Por exemplo, se hoje você gasta R$ 500,00 em compras de supermercado, em um ano pode começar a gastar R$ 550,00, caso a inflação suba 10%.

Isso faz com que falte dinheiro para outras coisas, especialmente se o seu orçamento mensal for apertado.

Além disso, o crescimento da inflação é ruim para quem tem dívidas ou pretende financiar algum sonho de consumo, pois as taxas de juros devem sempre ficar acima da inflação. Se não for assim, os bancos e credores estão “perdendo valor” ao emprestar dinheiro ou com o pagamento da dívida. Portanto, há sempre um ajuste dos juros para acompanhar a inflação.

Como se proteger da inflação?

Agora que você já viu o que é inflação, como ela surge e de que modo afeta o seu dinheiro, é hora de aprender como se defender dela. Sim, é possível se proteger um pouco da inflação. No entanto, não dá para evitá-la totalmente.

O primeiro ponto para se proteger da inflação é com um planejamento financeiro. Ao acompanhá-la, você consegue traçar algumas ações capazes de minimizar o efeito dela. Por exemplo, pode descobrir quando é o melhor momento para pegar um empréstimo.

Além disso, é essencial montar uma reserva de emergência protegida contra a inflação. Afinal, você não quer deixar o dinheiro “parado”, perdendo valor. Isso pode ser feito via um investimento em ativos que rendam acima da inflação e tenham liquidez diária. Desse modo, é possível recuperar o dinheiro a qualquer momento, caso necessário.

Agora que aprendeu o que é inflação, como é calculada e de que forma ela impacta seu dinheiro, já pode começar a se proteger dela ao manter sua educação financeira. Lembre que a inflação é um processo constante na economia. Por isso, é importante investir em sua reserva de emergência. Só assim ela conservará seu valor para quando precisar ser usada.

E aí, gostou de aprender o que é inflação? Se deseja avançar na sua educação financeira, não deixe de conferir outros conteúdos do nosso Blog!

Ir para o Blog

Marcella Menasce

por Marcella Menasce