6 mitos e verdades sobre como aumentar o score de crédito

04 de março / 2022 (atualizado)

Saiba no que você pode acreditar quando o assunto é aumentar score de crédito e não caia mais em falsas promessas da internet!

Como aumentar score de crédito?” — essa é uma dúvida recorrente entre pessoas que estão com uma pontuação abaixo do desejado e sabem como isso pode dificultar a vida financeira. Não é para menos que várias delas pesquisam na internet sugestões do que fazer para mudar esse quadro.

O problema é que, da mesma forma que ajuda, a rede também pode confundir e atrapalhar bastante quando você encontra uma informação que se baseia em achismos e senso comum. Bem complicado, não é?

Por isso, preparamos este post com alguns dos principais mitos e verdades sobre o assunto, além de responder algumas dúvidas sobre o tema. Acompanhe!

O que é considerado score bom ou ruim?

Se lhe perguntassem o que é score bom ou ruim, você saberia responder? Pois é, muita gente tem essa dúvida. Por isso, é hora de pôr os pingos nos “is”. De maneira simples, o score é dividido em quatro categorias. São elas:

  • muito bom: para quem tem de 701 pontos para cima;
  • bom: para quem tem entre 501 e 700 pontos;
  • regular: para quem tem entre 301 e 500 pontos;
  • baixo: para quem tem até 300 pontos.

Essa pontuação é dada a partir de vários aspectos analisados sobre a sua vida, como hábitos de consumo, pagamento de contas e o acesso e utilização de créditos disponíveis no mercado (cartões, empréstimos, financiamentos etc.).

Quanto mais positivo é o saldo desse histórico levantado pelo sistema, maior será a sua pontuação. Ou seja, apesar das variáveis envolvidas, essa é uma conta simples.

Quem se mantém acima dos 701 pontos, que é o score muito bom, constrói um perfil de cidadão adimplente, sendo vantajoso para as instituições financeiras e bancárias ter como cliente.

Por outro lado, os que se mantêm abaixo de 300 pontos ficam com um score ruim, o que representa inadimplência e, consequentemente, traz restrições de novas linhas de crédito.

Quais os mitos e verdade sobre como aumentar score de crédito?

Sabe aquelas afirmações categóricas sobre o que faz subir ou aumentar score de crédito? Reunimos algumas das mais frequentes delas para tirar as suas dúvidas e esclarecer o que, de fato, condiz com a realidade. Fique de olho!

 1. Colocar CPF na nota aumenta o score

Isso é mito! Muitas pessoas acreditam que colocar o CPF na nota fiscal ajuda a aumentar o score. Para elas, isso mostra (e comprova) os hábitos de consumo de pessoas que preferem comprar à vista em vez de usar linhas de crédito e parcelar, por exemplo. Porém, não há ligação entre uma coisa e outra, ok?

Na verdade, essa prática se tornou comum em todo o país porque os estados brasileiros conseguem, por meio desse registro, monitorar com precisão a arrecadação e o pagamento de impostos das empresas.

O procedimento é feito para identificar não só possíveis casos de fraude fiscal, mas também a venda de produtos ilícitos ou piratas. Portanto, fazer isso é colaborar com o cumprimento da lei.

2. Atualizar dados cadastrais aumenta o score

Sim, é verdade! Afinal, quanto mais atualizado é o seu perfil no sistema de score de crédito, mais o mercado terá informações atuais e precisas sobre formas de contato, onde você reside, com o que trabalha, qual é seu estado civil, formação acadêmica e por aí vai.

O bom é que você pode fazer isso de maneira bem simples: por meio dos birôs de crédito, que são justamente as empresas responsáveis por passar essas informações do sistema para o mercado.

Vale dizer, inclusive, que em alguns deles você pode fazer a atualização online, do conforto de casa, por meio da área do cliente na página oficial do órgão. Para isso, basta se cadastrar rapidamente no portal dele e criar um login de acesso.

3. Pagar uma dívida faz o score subir de imediato

Isso é mito! O seu score não aumenta a partir do momento que você negocia as parcelas de uma dívida ou paga o valor integral dela — mesmo que se trate de apenas uma. É preciso entender que esse tipo de mudança não é algo que acontece da noite para o dia, viu?

Ao contrário, é um processo que leva tempo, pois o sistema analisa o seu histórico como um todo para dar a sua pontuação, não apenas episódios isolados. Portanto é importante que, ao deixar esse débito para trás e ter o seu nome limpo de volta, você mantenha o controle dos seus gastos para não adquirir nenhuma outra dívida no futuro.

4. Pagar contas em dia aumenta o score

Sim, é verdade! Isso porque você mostra responsabilidade com as despesas que assumiu, sejam elas temporárias (como a parcela de um cartão de crédito ou a mensalidade de uma escola de idiomas), sejam elas regulares (como os boletos de água e luz).

Portanto, o sistema detecta esse comportamento e cria um histórico de pagamento de contas que é acessado pelas empresas do mercado de crédito por meio do Cadastro Positivo.

Logo, se você não atrasa nenhuma fatura, o seu histórico fica bastante favorável. O score só tende a aumentar com o tempo, e suas oportunidades de linhas de crédito vão se expandir continuamente.

5. Ganhar mais faz com que meu score suba

Isso é mito! Sem dúvidas, ganhar mais pelo seu trabalho é algo positivo, pois é um retorno dado ao seu esforço, ao seu profissionalismo e aos anos de estudo dedicados à qualificação acadêmica necessária para atuar e se destacar no mercado.

Isso sem mencionar que um orçamento mais folgado ajuda a manter as despesas em ordem e a ter uma maior qualidade de vida — dois objetivos compartilhados por muita gente! Porém, não se engane: não há nenhuma relação entre a sua renda e o seu score.

Você pode ganhar R$1.000, R$5.000 ou R$10.000 por mês, por exemplo, que isso não fará diferença. Tanto é que esse dado não é um critério levado em conta em nenhum dos birôs de crédito existentes no Brasil. O que importa é a sua capacidade de ser adimplente com as finanças e despesas que você assume.

6. Ter poucos cartões de crédito contribui para o score crescer

Sim, é verdade! Embora muita gente acredite que quanto mais cartões de crédito, melhor, isso não passa de uma grande ilusão. O motivo para tanto é bem simples: quanto mais cartões disponíveis você tem, maiores são as chances de gastar mais do que se ganha, o que pode gerar alguma dívida.

Para completar, o excesso de solicitações de novos cartões a bancos, lojas e outras instituições, ainda mais em um curto espaço de tempo, é visto como comportamento suspeito. É que essa é uma prática comum entre criminosos que clonam/roubam dados de cidadãos e tentam comprar coisas ou retirar dinheiro no nome das vítimas.

Portanto, o ideal é manter um ou dois cartões, por exemplo, para que você possa controlar seus gastos, pagá-los em dia, ter uma boa relação com os operadores deles, conquistar um bom limite e, assim, ver o seu score crescer.

Quanto tempo demora para o score subir?

Um questionamento compartilhado por muita gente, principalmente aquelas pessoas que estão com o nome sujo, é qual a média de tempo para o score subir. Afinal, elas querem quitar o que está pendente e, assim que possível, normalizar a situação.

No entanto, essa mudança não acontece apenas por uma ação que você tomou. Como falamos lá no início do texto, o score é influenciado por todas as movimentações financeiras da sua rotina.

Portanto, se você as mantêm em ordem, não tem dívidas e está fazendo bom uso das suas linhas de crédito, fique tranquilo. É totalmente possível o score subir em 30 dias ou até mesmo em menos tempo (questão de semanas ou dias).

Como aumentar 100 pontos no score?

Para conseguir aumentar 100 pontos no score, dando, assim, uma mudada significativa na sua pontuação, é importante se inscrever nas ferramentas que os birôs de crédito disponibilizam para os brasileiros terem uma avaliação de crédito mais vantajosa.

A primeira delas é o Cadastro Positivo que cria uma espécie de linha do tempo na qual ficam registradas todas suas as contas e o principal: a forma como você as obteve, como pagou por elas e e se houve organização para não perder os prazos delas.

Já a segunda é a conexão da sua conta bancária (que pode ser de diferentes bancos) ao seu cadastro na plataforma desses órgãos. Isso porque, dessa maneira, eles têm como conhecer mais detalhadamente como andam as suas finanças e qual o nível de equilíbrio da sua relação com o dinheiro.

O que faz o score baixar?

Até aqui, falamos bastante sobre como aumentar score de crédito. Porém, você deve estar se perguntando o que faz o efeito oposto — isto é, diminuir ele e até mesmo fazê-lo chegar a uma pontuação regular ou baixa —, não é mesmo? Por isso, resolvemos listar alguns exemplos de comportamentos que contribuem com isso. Veja quais são eles!

Solicitar em excesso o aumento de limite

Se você solicita com muita frequência o aumento de limite nos cartões de crédito, principalmente quando o valor desejado é incompatível com a renda que você tem, saiba que deve parar de imediato. Esse hábito é prejudicial para o seu score.

Tenha em mente que as instituições bancárias podem negar os seus pedidos e essas recusas ficam registradas no seu histórico. Portanto, um excesso delas não vai ser algo positivo, concorda?

Ter múltiplos empréstimos ativos

Fora a questão do limite de crédito, há o problema de ter vários empréstimos aprovados ao mesmo tempo, em especial quando a maioria deles ainda está em fase de pagamento. Afinal, o score identifica não só os contratos deles, como também os detalhes de cada um (duração, valor da parcela, garantia etc.).

Quanto mais houver empréstimos, mais isso se mostrará como um comportamento de risco, já que as chances de haver atrasos ou mesmo impossibilidade de arcar com esses débitos aumenta. Como resultado, o seu score é diretamente prejudicado.

Ah, e a situação ainda piora se, para além desse cenário, você ficar fazendo simulações de novos empréstimos. Isso porque o sistema entenderá que há algo errado com a sua vida financeira.

Dificultar a checagem dos birôs nas suas movimentações financeiras

Outro exemplo que pode diminuir sua pontuação é cancelar a maioria ou mesmo todas as suas contas (corrente e de poupança) nos bancos (físicos e digitais), além de não assumir a titularidade de nenhuma conta (como água, luz, contrato de aluguel, internet etc.).

Isso porque é por meio das empresas e das instituições bancárias que os birôs de crédito têm como avaliar suas movimentações financeiras e as atualizações/alterações nos seus dados pessoais. Logo, se você some do mapa, por assim dizer, fica difícil o órgão entender qual é a sua realidade financeira, como é possível entrar em contato e o quanto você se compromete com as despesas que tem no dia a dia.

Possuir cartão sem utilização alguma

Além do que já foi falado, contar com cartão de crédito no seu nome, mas nunca ou raramente utilizá-lo, também é algo que pode fazer o score baixar. É que o uso dele mostra quais são os seus hábitos de consumo, como você gasta o seu dinheiro ao longo do mês e se você honra o pagamento da fatura do cartão.

Porém, quando ele fica esquecido na mesinha de cabeceira, os birôs enfrenta a mesma dificuldade que citamos para monitorar suas movimentações. Com isso, o órgão não entende nem consegue traçar qual é o seu perfil de consumidor.

Manter dívidas por muito tempo

Por último, ter contas negativadas há muito tempo (anos, por exemplo) e nunca ter feito qualquer acordo para quitá-las, seja diretamente com o credor, seja por meio de plataformas que permitem essa negociação (como a emDia), também limita sua pontuação no score.

Isso porque, para o sistema, além de estar inadimplente, você não demonstra iniciativa ou interesse em pôr fim ao endividamento — independentemente das ofertas disponíveis.

Como você leu, quando se trata de saber como aumentar score de crédito, não faltam macetes e sugestões na internet — e nem todos eles, de fato, são verdades. Por isso, é importante checar cada um com cuidado e contar com uma plataforma de referência, como é o caso da emDia, para se manter bem informado.

Além disso, sempre é bom recordar que manter a pontuação do score alta é importante, pois isso traz benefícios diretos à sua vida financeira, como é o caso da obtenção de crédito quando você mais precisa.

Gostou de desvendar os mitos e verdades sobre como aumentar score de crédito? Se você quiser saber mais sobre como a negociação de dívidas pode ajudar na sua pontuação, acesse o site da emDia.

Gabriella Araujo

por Gabriella Araujo