Como saber se meu nome está sujo?

13 de maio / 2020 (atualizado)

Se você já ficou com o nome sujo ou conhece alguém em tal situação, sabe que pode ser uma condição nada agradável. Aqui nós contaremos como saber se seu nome está sujo e evitar isso, entre outras coisinhas mais!

Como saber se meu nome está sujo? Essa expressão ou o termo CPF negativado são variações para uma mesma situação — a inclusão de uma pessoa física nos cadastros de proteção ao crédito. Em outras palavras, significa que o Cadastro de Pessoa Física (CPF) está inscrito em um banco de dados de restrição ao crédito.

Seja pelo aperto das contas de casa, seja pelo acúmulo de dívidas, seja pelo esquecimento de pagar um boleto, lidar com as consequências de tal situação não é nada agradável. Mas entender como aconteceu e qual o melhor meio de limpar o nome são aspectos fundamentais, que evitam vários constrangimentos e auxiliam no planejamento para sair desse cenário.

Pensando nisso, neste post vamos ajudar a identificar se o seu nome está sujo e o que fazer para reverter tal situação. Acompanhe o texto e fique por dentro do assunto!

Como o nome fica sujo?

Primeiramente, ter o nome sujo significa que pela falta de algum pagamento, seja ele de produto, seja de serviço, você foi cadastrado em algum dos órgãos de proteção ao crédito, também conhecidos como birôs de crédito, sendo eles: SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), Serasa e Boa Vista, entre outros.

Normalmente, as empresas tentam negociar o débito antes de negativar o seu CPF, mas a partir do primeiro dia de atraso, a empresa credora já pode inserir o seu nome no cadastro de inadimplentes. Quando isso acontece, os birôs de crédito que citamos entram em contato com o consumidor para avisar que o nome será negativado, caso a dívida não seja paga em até 10 dias.

Se o prazo de dez dias terminar e a dívida não for regularizada, então os birôs podem inserir o CPF do consumidor em sua base de devedores, o que torna o nome do consumidor sujo.

Vale lembrar que esse pagamento inexistente pode vir das mais diversas origens e algumas vezes acaba nos pegando de surpresa. Alguns exemplos mais comuns são:

  • cheques sem fundos que são devolvidos pela segunda vez por algum banco;
  • não pagamento de parcelas e boletos de compras feitas no varejo;
  • não pagamento das faturas do cartão de crédito;
  • não pagamento de parcelas de um financiamento (de um veículo, imobiliário, de máquinas, entre outros bens);
  • atraso em contas da casa (luz, água, telefone, internet, entre outras).

Se aconteceu com você, saiba que isso é mais comum do que imaginamos: já em 2018, pesquisas apontavam que mais de 62 milhões de brasileiros estavam negativados, ou seja, com o nome sujo.

Qual é o problema de ficar com o nome sujo?

Além da dor de cabeça, a negativação causa diversas consequências aos consumidores, como a desorganização da vida financeira, que os impede de tomar várias decisões, como:

  • alugar um imóvel;
  • conseguir um empréstimo;
  • adquirir um cartão;
  • comprar a prazo;
  • ter problemas para obter um emprego.

Na prática, estar com o nome sujo é contar para o mercado que você é um mau pagador. Afinal, os birôs de crédito utilizam ferramentas tecnológicas para elaborar padrões de consumo e verificar perfis com mais ou menos chances de não arcar com seus débitos, levando em consideração o histórico de cada pessoa.

Com isso, você provavelmente terá a credibilidade reduzida e menos oportunidades de acessar os mais diversos produtos de crédito oferecidos por aí, como empréstimos, limite no cartão de crédito, financiamentos e cheque especial.

Isso acontece porque, ao perceber que quem está solicitando o crédito tem o nome sujo, as empresas conseguem ver o risco de calote aumentar e, como forma de proteção, recusam o financiamento, empréstimo ou crediário.

Afinal, como saber se meu nome está sujo?

Apesar da importância de manter o controle de todas as informações financeiras, é bastante comum que as pessoas não saibam que seu nome está sujo e só recebam a notícia ao tentarem realizar alguma operação de crédito. Diante disso, é essencial ter conhecimento de como anda seu nome.

Além da oferta de serviços pagos de consulta, alguns sites e aplicativos disponibilizam gratuitamente a consulta de CPF. Por meio de tal análise, o consumidor consegue verificar se está com o “nome sujo” e informações como o valor que está devendo, a data de vencimento do débito e os contatos da empresa credora, se quiser propor uma negociação da dívida.

De modo geral, para se cadastrar e ter acesso à consulta, é necessário informar CPF, nome completo, data de nascimento e e-mail, além de registrar uma senha. Com o cadastro pronto, o consumidor fica por dentro da situação de seu nome ― se está limpo ou sujo ― como também da sua regularidade junto à Receita Federal.

Outras empresas contam ainda com postos de atendimento presenciais, como é o caso da Boa Vista. Lembre-se sempre de procurar empresas que sejam conhecidas para fazer essa consulta e evitar cair em algum tipo de fraude.

Vale ressaltar que também há as plataformas digitais, como a emDia, que possibilitam a verificação e, até mesmo, a negociação das suas dívidas. Dessa forma, é possível confirmar a existência de débitos em seu nome dentro de carteiras de empresas parceiras. Basta acessar o link e consultar o CPF!

O que fazer para limpar o nome?

Se você se identificou com essa situação e ficou um pouco preocupado com as consequências de ter o nome sujo, o ideal é tentar resolver a situação da melhor maneira possível.

Para isso, nós temos algumas dicas simples para limpar o seu nome, que, com certeza, podem ajudar muito. Confira!

Negocie suas dívidas

Sem dúvida, a maneira mais comum de sair da lista de nome negativo é entrando em contato com a empresa na qual a dívida foi realizada, a fim de negociar o pagamento. Sabemos que isso nem sempre é tão simples quanto parece e que o sucesso dessa tarefa depende de uma baita organização do orçamento.

Por isso, recomendamos sempre a busca por uma empresa parceira, com a qual sua negociação, além de clara e segura, seja também com condições que caibam de verdade no seu bolso.

Busque por percentuais de descontos maiores, condições de pagamento flexíveis e um prazo que atenda às suas necessidades. Além disso, conheça quais são as suas possibilidades de pagamento, pois, desse modo, você escolherá a opção que realmente se adéqua ao seu orçamento.

Assim que você fechar um acordo e a primeira parcela for paga, o seu nome ficará limpo em até 5 dias úteis. Mas atenção: caso as próximas não sejam quitadas, o nome voltará a aparecer na lista de negativação.

Utilize uma plataforma digital de negociação

Outra alternativa viável são as plataformas digitais que trazem soluções simples e, principalmente, sem constrangimento para renegociar as suas dívidas. A ideia do serviço é realizar um processo totalmente online, além de seguro, com um cadastro gratuito.

Em geral, a pessoa deve preencher algumas informações na plataforma, analisar as dívidas existentes e a possibilidade de negociá-las e procurar a proposta ideal.

Na emDia, por exemplo, o cliente acessa o site e realiza o cadastro em menos de 5 minutos. A nossa empresa transformou o sistema tradicional de cobranças. No lugar de ligações, trouxe a linguagem clara e humanizada, tanto com seus clientes finais, quanto com players de diversos segmentos. Uma ótima solução, não é mesmo? Então, conheça as condições de negociação da emDia.

O que fazer para não voltar a ter o nome sujo?

Sem dúvida, organizar as finanças, priorizar o pagamento das dívidas, manter o controle do orçamento e investir em educação financeira serão as melhores saídas para isso, porque, de certa forma, evitam que você caia no mesmo problema futuramente.

A seguir, veja algumas sugestões que podem ajudar!

Pague as contas em dia

Primeiramente, para evitar que seu nome volte para uma lista de negativados, é importante tomar alguns cuidados, sobretudo para manter o pagamento das contas em dia, já que esse é um dos principais motivos para a negativação do cidadão.

Pode parecer besteira, mas atrasar as suas contas, mesmo que por um único dia, prejudica o seu bolso. Nesse caso, na hora de arcar com as contas em geral, organize-se para quitá-las antes mesmo da data de vencimento, se possível. Pagá-las em dia mantém a sua vida financeira organizada e contribui para aumentar o seu score de crédito aos poucos.

Tenha um planejamento financeiro

O planejamento financeiro é um guia poderoso para organizar devidamente as suas finanças, isto é, controlar todos os seus ganhos e gastos. Na prática, ele funciona como um controle de todas as operações financeiras que você está realizando, que vai ajudar a tomar decisões melhores.

Com isso, é possível saber exatamente qual a média de gastos durante o mês, de modo a controlar as suas despesas extras de acordo com a remuneração recebida. Organizando o seu orçamento e os seus pagamentos mensais ou pontuais, dificilmente você deixará alguma parcela ou conta escapar.

Lembre-se de que, das pequenas às grandes compras, todos os gastos precisam ser planejados. Só assim você conseguirá evitar o consumo supérfluo que ultrapassa o orçamento. Você pode até contar com o auxílio de aplicativos para isso.

Controle os gastos

Manter todas as suas despesas sob controle também é uma forma de escapar de vez das dívidas. Isso possibilita visualizar todo o capital que está comprometido, ou seja, fica mais fácil para você detalhar as suas contas e se programar no mês. Com isso, é possível saber a quantia disponível para realizar compras sem se endividar.

Outra estratégia bem interessante a ser adotada é o consumo consciente no lugar de simples compras por impulso, caso as lojas, os shoppings e os jantares em restaurantes caros sejam o seu ponto fraco. O consumo nesses locais nem sempre é crucial e pode ser eliminado para controlar a sua vida financeira.

A educação financeira vai contribuir para conhecer mais as suas finanças para não ser pego de surpresa. Conhecer sobre taxas de juros, impostos menos comuns e métodos de poupar para alcançar seus objetivos é fundamental para a saúde de suas finanças!

Por último, outra dica importante: não “empreste” o seu nome ou CPF para alguém. Por mais próxima que essa pessoa seja de você, se ela se enrolar com o pagamento da dívida que gerou usando o seu nome, as consequências e restrições ficarão todas para você. Portanto, evite assumir compromissos em que o pagamento futuro seja de responsabilidade de outros. Não vale a pena correr o risco, certo?

Agora você já entendeu como saber se seu nome está sujo, além de conhecer algumas dicas para evitar ou sair de tal situação. Nós proporcionamos a ferramenta ideal para você se livrar das dívidas de maneira rápida e fácil nas nossas plataformas digitais.

Está negativado e tem interesse em negociar suas dívidas? Então, entre em contato conosco, cadastre-se e conheça as nossas melhores soluções disponíveis!

Marcella Menasce

por Marcella Menasce