Como funciona o parcelamento da fatura do cartão de crédito?

12 de outubro / 2021 (atualizado)

O cartão de crédito é um recurso financeiro importante que ajuda a realizar aquisições de alto valor ou quando não temos todo o dinheiro que precisamos para o momento. No entanto, até mesmo as pessoas mais organizadas financeiramente estão sujeitas a imprevistos financeiros, e é nesses momentos que a solução pode se tornar um problema. Por isso, é fundamental saber como funciona o parcelamento da fatura do cartão de crédito.

Esse recurso deve ser acionado apenas em última instância, mas está ali para resolver uma situação emergencial caso seja necessário. Por isso, chegou a hora de saber mais sobre o assunto. Vamos lá? Aproveite a leitura!

Como funciona o parcelamento da fatura do cartão de crédito?

O cartão de crédito está bem popularizado entre as pessoas. Isso porque ele permite que você tenha um prazo maior para pagar pelas suas compras e/ou, na maioria dos casos, que parcele o valor total. Ainda assim, imprevistos acontecem e você pode não pagar a fatura integral. Nessas horas, é preciso começar a se questionar se esse é, de fato, um crédito amigo ou inimigo.

Além disso, é fundamental saber como funciona o parcelamento da fatura do cartão para não se endividar. Se por um lado isso ajuda a manter o orçamento sob controle, por outro pode ser o começo de uma dívida maior ainda.

Ao optar pelo parcelamento da fatura do cartão de crédito, a nova dívida pode ser paga em até 24 meses com taxas de juros mais baixas do que outras opções, como o rotativo do cartão. Essa é uma medida importante para garantir a sua saúde financeira e evitar maiores complicações.

As taxas cobradas por cada serviço variam muito, mas é possível encontrar uma diferença de quase 50% entre os juros do rotativo e do parcelamento do cartão. No entanto, é preciso ter consciência de que, ao recorrer a essa medida, é preciso fazer uma revisão de todo o orçamento.

Além disso, é preciso ficar de olho nas regras implementadas pelo Banco Central. Em geral, cada instituição financeira estabelece um valor mínimo da fatura que deve ser pago. Assim, você não fica inadimplente. A partir disso, há duas opções com o que resta do valor:

  • entrar no crédito rotativo, com juros altíssimos;
  • optar pelo parcelamento, que sai mais em conta.

Quando você escolhe a segunda opção, pode parcelar o que ficou em aberto da maneira que ficar melhor para o seu orçamento. Assim, saberá exatamente o valor das parcelas e a data de vencimento de cada uma delas. Esse montante será acrescentado ao total das próximas faturas.

Ainda são adicionados o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e juros que são variáveis e estão atrelados ao número de parcelas. Além disso, alguns bancos optam por fazer o parcelamento automático da fatura depois do uso de rotativo. Porém, isso deve constar no contrato, e as condições para o parcelamento automático devem ser melhores que as do rotativo.

Quando é possível optar por esse parcelamento?

Você pode optar pelo parcelamento ao pagar o valor mínimo estipulado pelo banco. No entanto, é importante se atentar ao fato de que as parcelas serão uma parte das suas próximas faturas e não poderão ser parceladas novamente.

Além disso, é preciso ter um controle mais eficiente dos novos gastos que serão feitos no cartão justamente para não extrapolar mais uma vez sua capacidade de pagamento. Ah! E isso também vai comprometer o limite do seu cartão, okay?

A melhor estratégia sempre será pagar o valor total. Utilizar o parcelamento do cartão é uma medida emergencial em casos de crise financeira ou da necessidade de um gasto inesperado, como custos com saúde.

Dicas práticas para gerenciar melhor o cartão de crédito

Antes mesmo de fechar o parcelamento da fatura, é importante fazer uma análise minuciosa da opção. Por exemplo: você terá como pagar pelo reparcelamento, ainda que não tenha a opção de parcelar novamente esse valor?

Outra dica interessante é negociar com o banco e não aceitar a primeira proposta, pois assim você saberá realmente quais são as suas opções, como um empréstimo para pagar dívidas. Além disso, se já estiver inadimplente, as chances de conseguir descontos interessantes negociando são boas.

Você também precisará ficar atento ao montante das suas despesas mensais. Ao escolher o número das parcelas de pagamento, certifique-se de que o valor de cada uma caberá no seu orçamento sem atrasos ou novos contratempos. Por isso, é importante ter um controle financeiro pessoal a fim de saber quanto pode assumir de parcela todos os meses, considerando também outras despesas recorrentes, como aluguel e supermercado.

Mas o melhor a fazer nesse momento é mesmo evitar ao máximo contrair novas dívidas e continuar comprando itens acessórios. Priorize as compras essenciais para a sobrevivência da família e segure as demais para momentos mais propícios.

Por mais bobo que pareça, qualquer compra que você decida colocar no cartão de crédito vai fazer com que a fatura vire uma bola de neve. Então, para evitar dores de cabeça, aposente o cartão até estar totalmente reestabelecido financeiramente, combinado?

Sempre que possível, pague o valor total da fatura. E, caso as coisas melhorem dentro de pouco tempo, procure novamente o banco se puder adiantar algumas parcelas, pois isso geralmente alivia bastante a taxa de juros em algumas instituições.

Nossa última dica para você é aproveitar essa experiência indesejada para aprender o máximo possível sobre organização financeira. Portanto, mantenha um controle, seja com anotações em um caderninho, em uma planilha no computador ou em um app no seu smartphone. Não importa o método, o que realmente tem relevância é que você saiba o quanto gasta com cada item por mês.

Aos poucos, você se habituará a acompanhar os gastos rotineiramente, entendendo quais deles são fundamentais e quais são supérfluos. Isso também pode ajudar a perceber quais são as despesas que você tem e não usa, como um plano de celular cujos benefícios não são utilizados ou assinaturas que não acessa.

Agora que você já sabe como funciona o parcelamento da fatura do cartão de crédito e como proteger as suas finanças, que tal continuar aprendendo? Saiba mais sobre o score de crédito!

emDia

por emDia