Como funciona o limite do cartão de crédito? Aprenda!

03 de maio / 2022 (atualizado)

Quer saber como funciona o limite do cartão de crédito? Quem decide isso? Vem que a gente conta tudo nesse post!

Você já parou para pensar em como funciona o seu cartão de crédito? É claro que sabe que ele é ótimo para fazer comprinhas na Internet. Além de prático, com ele é possível parcelar em quantas vezes a loja permitir. Sem contar que, em um momento de aperto, ele pode dar aquela ajuda enquanto o próximo salário não vem.

E usar o cartão pode trazer muitos benefícios, desde que com responsabilidade. Mas o que isso significa? Que você precisa saber tudo sobre ele, incluindo como funciona o limite do cartão de crédito.

Continue sua leitura que a gente explica!

Como é calculado o limite do cartão de crédito?

Todo cartão de crédito funciona com um limite estabelecido quando você o contrata. E como o banco ou a administradora do cartão decidem esse valor?

Eles levam várias informações em consideração, mas a mais importante é sua renda pessoal, que vai definir quanto você consegue comprometer para o pagamento das despesas da fatura.

Existem mais dois fatores essenciais para essa decisão: o seu histórico de pagamentos e o seu perfil financeiro. Nesse momento, os birôs de crédito costumam ser consultados. O banco vai analisar se você paga suas contas no prazo correto e se não está com o nome negativado. Geralmente, o bom pagador consegue um limite maior.

Como funciona o limite do cartão de crédito parcelado?

Vamos tentar entender como funciona o limite do cartão de crédito para compras parceladas. Em primeiro lugar, se você tem um cartão com R$2000,00 de limite, isso significa que, no período de um mês, você não pode gastar mais do que este valor no seu cartão.

Caso faça uma compra de R$500,00 e outra de R$300,00, por exemplo, então gastou R$800,00, e o seu limite passou de R$2000,00 para R$1200,00. Logo, você ainda pode gastar R$1200,00 até pagar a fatura do cartão. Quando quitá-la, o limite volta a ser R$2000,00.

Até aqui, tudo ótimo. Mas como o limite funciona para compras parceladas? A resposta é: depende. Os bancos são livres para controlar isso de duas formas:

  • considerando o valor total da compra — você gastou R$1500,00 no seu cartão de crédito e sobrou R$500,00. Para facilitar o pagamento, você decidiu parcelar em 5 vezes de R$300,00. Seu limite só voltará a ser os R$2000,00 novamente depois que você quitar toda sua dívida, ou seja, depois de pagar as 5 parcelas;
  • considerando o valor da parcela — se este for o caso, quando gasta R$1500,00 e parcela em 5 vezes de R$300,00, o seu limite passa a ser R$1700,00, porque é o valor da parcela que foi descontado do limite total.

Para saber como funciona o seu cartão de crédito, fique de olho na sua fatura. Observando os seus gastos e os valores de limite ainda disponíveis, fica fácil perceber como o banco lida com o limite do cartão.

É possível ultrapassar o limite do cartão de crédito?

Isso também vai depender do banco ou da operadora dele. Geralmente, quando você tenta passar uma compra acima do limite, ela é negada.

Entretanto, existe a possibilidade de ativar a função de Avaliação Emergencial de Crédito, e sua compra passa por uma análise da operadora. Se for aprovada, você consegue gastar além do seu limite; se for negada, a transação não é concluída.

Nesses casos, não há garantia de que seu pedido será aprovado, portanto, o melhor negócio é usar o seu cartão dentro do limite.

O que acontece se eu estourar o limite do cartão e não pagar?

Você já deve ter visto muita gente considerar o cartão de crédito amigo ou inimigo. Ele é seu amigão quando ajuda a pagar as contas mesmo antes de você ter o dinheiro, certo?

Mas nesta situação aqui, ele com certeza será seu inimigo, porque se você não pagar o total da fatura, terá de arcar com o custo dos juros, que são os mais altos do mercado.

Funciona assim: vamos supor que você estourou os R$2000,00 de limite, ou seja, gastou isso em menos de um mês. Quando chegou a fatura, você estava sem dinheiro para arcar com o total e escolheu quitar o mínimo. Essa taxa aparece descrita na sua fatura.

O que vai acontecer é que, no próximo mês, a sua fatura estará beirando os R$2000,00 novamente, pois você vai ter de pagar o valor que sobrou acrescido de juros, que chegam até a 14% por mês.

Mas, antes de sair por aí pedindo cartão de crédito emprestado, saiba que um bom planejamento pode ser de grande ajuda nessas horas.

Como aumentar o limite do cartão de crédito?

O primeiro passo é entrar em contato com a administradora do seu cartão e fazer o pedido. Mas existem algumas iniciativas que você pode tomar para elevar suas chances de conseguir aumentar o seu limite. Veja a seguir!

  • Usar o seu cartão frequentemente — quando você compra bastante com o seu cartão e mantém o pagamento da fatura em dia, o banco entende que aquele limite já não é mais suficiente para suas necessidades.
  • Pedir a transferência dos seus limites — ao obter um crédito aprovado pelo banco, ele divide esse crédito entre os produtos oferecidos, como empréstimo pessoal, cheque especial, o próprio cartão de crédito, entre outros. Se o seu objetivo é aumentar o limite, entre em contato com o banco e solicite que o limite dos outros produtos seja deslocado para o seu cartão.
  • Atualizar suas informações — o banco precisa saber se sua renda está maior, assim fica mais fácil autorizar o aumento do limite do cartão.
  • Pagar suas contas em dia — se o banco percebe que você não consegue arcar com suas faturas, dificilmente vai autorizar um aumento no limite do cartão de crédito.
  • Tomar cuidado com os parcelamentos — se já tem muitas dívidas parceladas, a sua renda pode ficar comprometida. Assim, o banco vai entender que você não conseguirá pagar em dia um limite maior.

Você deve ter reparado que todas essas dicas são maneiras de cultivar bons hábitos financeiros. Afinal, quando entende como funciona o limite do cartão de crédito, ele se torna o seu grande aliado.

E sabe quem é você na hora de usar o cartão de crédito? Faça o teste e descubra!

Gabriella Araujo

por Gabriella Araujo